Descrição de chapéu Coronavírus

Empresas ajudam marceneiros, pintores e ambulantes a sobreviver à pandemia

Iniciativas levam auxílio emergencial a milhares de profissionais que perderam a renda

São Paulo

Profissionais cujo trabalho depende do cara a cara, como os ambulantes, ou cujo serviço exige a entrada nas casas alheias, como marceneiros e pintores, sofrem com as medidas de isolamento social durante a pandemia da Covid-19.

Para minimizar os impactos da crise na vida desses trabalhadores, empresas fazem doações e criam iniciativas de auxílio emergencial.

Pintor usa rolo em parede amarela
Desde abril, fundo criado pela Suvinil leva auxílio emergencial para pintores durante a crise do coronavírus; outras empresas criam iniciativas semelhantes para fortalecer profissionais - Divulgação

A rede de lojas Leo Madeiras, maior distribuidora de materiais para marcenaria e indústrias de móveis do Brasil, lançou o projeto Marcenaria do Bem, que doará R$ 600 para mais de 3,5 mil marceneiros de todo o país.

O auxílio será depositado em duas parcelas mensais de R$ 300. Interessados devem se inscrever pelo site do projeto e atender a todos os pré-requisitos exigidos pelo regulamento do programa.

Os contemplados serão incentivados a produzir peças para doação como forma de contribuir com instituições ou organizações sociais que também precisem de ajuda neste momento.

Além disso, terão acesso online a conteúdos direcionados para cuidados com a própria saúde e a de suas respectivas famílias, orientação profissional, além de instruções para a produção de diferentes tipos de móveis e utensílios.

O Marcenaria do Bem ainda conta com um sistema de financiamento coletivo para que consiga ampliar o número de profissionais beneficiados pela ação.

A iniciativa é vinculada ao Instituto Leo, entidade de impacto social mantida pela companhia, e conta com o apoio do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS) e da Duratex S.A, maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários da América do Sul.

Outra iniciativa que se destaca é a da Futura Tintas, que com a ajuda de lojistas parceiros doará R$ 2 milhões para pintores atingidos pela crise.

A empresa criou o Futura Voucher, um voucher em formato de carnê que visa impactar os profissionais de áreas distantes, mais vulneráveis e com pouco acesso à internet. Os beneficiários serão escolhidos pelas lojas parceiras da Futura, e cada voucher valerá R$ 100.

A proposta da iniciativa é auxiliar os profissionais por meio da garantia do trabalho, elevando a autoestima dos pintores. Funciona assim: ao fechar um serviço (a ser realizado depois do isolamento), o pintor recebe do cliente o valor antecipado da obra, que pode ser executada até dia 31 de dezembro. Assim que o serviço for feito, o pintor recebe da Futura Tintas o mesmo valor antecipado pelo cliente.

“Criamos uma forma das pessoas poderem antecipar uma parte do valor de suas obras futuras, num ato de generosidade, mas não como doação, porque receberão o serviço no futuro. A grande novidade é que quando a pandemia passar a Futura paga novamente o valor do adiantamento, ou seja, o pintor terá um auxílio duplo", explica Sandra Campos, líder de marketing da Futura Tintas.

Clientes interessados em participar da iniciativa devem acessar o site da empresa para solicitar um serviço.

No Rio de Janeiro, a Cerveja Antarctica e o Biscoito Globo firmaram parceria para ampliar a venda dos produtos, que despencou na pandemia, e reverter o lucro para a renda dos ambulantes.

A partir de terça-feira (26), pacotes de biscoito Globo individuais e em kits promocionais com Cerveja Antarctica serão vendidos pelo Zé Delivery, maior app de entregas de bebidas do Brasil.

O biscoito custará R$ 2 a unidade, e as pessoas também poderão comprar o kit Coisa Boa, com três pacotes de biscoito e seis latas de cerveja de 350ml por R$ 23,34.

Tanto o valor do lucro do biscoito quanto o da cerveja serão doados aos ambulantes, que receberão o crédito via plataforma Ame Digital.

A Ame tem o cadastro dos autônomos das praias cariocas, que desde janeiro realizavam vendas pelo aplicativo. Durante a pandemia, criou um botão que permite a doação de qualquer valor para esses ambulantes.

Saiba como doar para comunidades vulneráveis, indígenas, hospitais e ONGs

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.