Cinema drive-in gratuito exibe pré-estreias e sucessos nacionais em São Paulo

Com investimento filantrópico, iniciativa de impacto social contrata egressas do sistema prisional e usa energia solar nas áreas comuns

São Paulo

Se as sessões de cinema nas salas convencionais estão suspensas por conta da pandemia, o prazer de assistir a filmes no ritual coletivo encontrou nos cinemas drive-in uma forma de se manter.

O Projeto Paradiso, iniciativa filantrópica do Instituto Olga Rabinovich, lança o Drive-in Paradiso, uma sala de cinema ao ar livre que permite que o espectador assista aos filmes gratuitamente dentro de seu carro.

Com curadoria da atriz e cineasta Marina Person, as sessões ocorrem a partir de 1º de agosto e têm fim no dia 23, em São Paulo. A iniciativa é fruto da correalização da Secretaria Municipal de Cultura e da Spcine e parceria do Cine Autorama. Já a produção do evento é feita pelo hub de comunicação [ Em Branco ].

O Drive-in Paradiso será instalado no estacionamento da Assembleia Legislativa de São Paulo, no Ibirapuera. A curadoria de Person foca na celebração das produções nacionais.

Cada sessão disponibilizará ingressos para cem carros, que deverão ser reservados gratuitamente pelo Sympla a partir de 28 de julho. Cada carro pode ter até quatro pessoas.

Toda a produção do Drive-in Paradiso foi pensada com objetivo de impactar positivamente a cidade. Além de ser gratuito, fazem parte do time de produção mulheres egressas do sistema prisional, selecionadas pelo Instituto Responsa.

Angélica de Souza, 23, passou cinco anos no cárcere, deixando a prisão no ano passado. Selecionada pelo Responsa, o Drive-in Paradiso é o terceiro evento em que trabalha.

“Nunca tinha trabalhado em produção de eventos e esse é um mundo diferente. A gente conhece e lida com todo tipo de gente. Tem o rico, o pobre, o gay, o careta, todo mundo trabalhando junto. Para mim é muito bom conhecer tudo isso", afirma.

O evento também recebe os selos de Evento Neutro e Sou Resíduo Zero, iniciativas que nascem sob o compromisso de quantificar e compensar todas as emissões de gases de efeito estufa em todas as etapas da produção e converte em apoio financeiro a projetos ambientais brasileiros.

No espaço também haverá triagem e separação de resíduos produzidos pelos carros. Os motoristas receberão um saquinho de lixo na entrada para entregá-los à produção ao final do evento com seus resíduos.

O consumo de energia renovável também é um dos pontos importantes do Paradiso. O abastecimento do espaço comum de atendimento ao público como estacionamento, banheiros e bomboniere será feito por meio da plataforma CineSolar de energia solar.

O projeto se define como uma grande celebração do talento e da diversidade do cinema nacional. A programação conta com a faixa #vidasnegrasimportam, com curadoria também de Rayanne Layssa, exclusivamente dedicada a filmes de diretores negros brasileiros.

A abertura da faixa conta com a exibição do longa “Café com Canela”, de Glenda Nicácio e Ary Rosa, premiado no 50º Festival de Brasília e estrelado por Babu Santana.

Na sequência, a pré-estreia do longa de Caru Alves, “Meu nome é Bagdá”, vencedor do prêmio do júri na mostra Generation do Festival de Berlim neste ano.

O primeiro dia do Drive-in Paradiso termina com “Central do Brasil”, de Walter Salles, dentro da homenagem aos grandes clássicos brasileiros que continua ao longo do mês.

No primeiro domingo de programação há espaço para o infantil “Tainá – A origem”, a biografia musical “Elis” e ainda a comédia “De pernas para o ar 3”.

As sessões serão realizadas às 17h, 20h e 23h, aos sábados e domingos.

Ao longo de agosto, serão exibidos outros sucessos do audiovisual nacional, como “Bacurau” em sessão dupla com filme surpresa escolhido pelo diretor Kleber Mendonça Filho.

Antes dos longas, ainda haverá a exibição de curtas-metragens produzidos por cineastas das periferias de São Paulo para o projeto Curta em Casa –realizado durante a pandemia pelo Projeto Paradiso em parceria com o Instituto Criar de Cinema, TV e Novas Mídias e a Spcine.

"O que mais me empolgou nessa curadoria foi a possibilidade de trazer filmes que fazem parte da memória afetiva brasileira, com títulos que foram grandes sucessos de bilheteria, quanto de exibir outros que provocam reflexões sobre o momento que estamos vivendo", afirma a curadora Marina Person.

Com a exibição da campanha #juntospelocinema antes das sessões, o Paradiso se junta à ação que reúne exibidores, distribuidores, produtores, e parceiros da indústria audiovisual no Brasil para resgatar a experiência de imersão dos espectadores nas salas de cinema. 

Segundo a filantropa Olga Rabinovich, o drive-in gratuito é uma forma de apoar a indústria do audiovisual e celebrar o cinema nacional.

“O Drive-In Paradiso é a forma que encontramos de enaltecer o audiovisual nacional e criar uma opção de lazer para a cidade em tempos tão duros. Durante a pandemia, o audiovisual parece ser mais importante que nunca como opção de entretenimento e fomentador de debates. Conseguir levar uma tela a um lugar tão crucial de São Paulo para exibir uma programação diversificada certamente é motivo de orgulho para nós”, afirma.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.