Campanhas de financiamento coletivo voltam com força em momento crítico da pandemia

Depois de movimentarem mais de R$ 130 milhões em doações ano passado, plataformas buscam alternativas para manter captação em alta

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Deborah Bresser
São Paulo

As plataformas de financiamento coletivo, importantes braços de arrecadação de doações no enfrentamento aos efeitos da Covid-19, já movimentaram mais de R$ 130 milhões, ao mobilizar pessoas físicas que querem ajudar nas mais diversas causas.

Com o agravamento da crise sanitária, social e econômica, Benfeitoria, Doare e Vakinha seguem ativas com campanhas que visam combater a fome e dar suporte a entidades que atuam na linha de frente da crise.

"A pandemia comoveu pela urgência, pela gravidade. Agora não está no mesmo ritmo, as pessoas estão exaustas, mas é preciso voltar a sensibilizar”, avalia Tatiana Leite, sócia da Benfeitoria. “Preciso me manter otimista, é uma forma de resistência. Acho que a gente vai virar o jogo.”

Segundo ela, durante a pandemia houve um aumento no ticket médio, que é em torno de R$ 150, mas houve casos de doção única no valor de R$ 1 milhão.

Ao completar 10 anos em 28 de abril, a Benfeitoria exibe um legado para o mercado brasileiro. “Somos uma plataforma de financiamento colaborativo, mas a gente sempre se entendeu como um laboratório, com olhar mais humano”, diz Tatiana.

Ela foi uma das finalistas do Prêmio Empreendedor Social em Resposta à Covid-19, com o Matchfunding Enfrente, em parceria com a Fundação Tide Setubal. Tatiana toca a Benfeitora com seu parceiro, Murilo Farah. “É um projeto de vida”, resume.

Durante a pandemia, a Doare também viu a plataforma crescer como ferramenta de suporte a causas importantes, mobilizando R$ 32 milhões em campanhas até o momento.

Para Felipe Antunes da Silva, sócio-diretor da Doare, as organizações têm de estender suas campanhas nesse novo momento. “As empresas investiram tudo o que podiam na primeira onda, agora estão mobilizando colaboradores para que eles contribuam”, constata.

O engajamento dentro das empresas, via matchfunding, por exemplo, é uma alternativa. Outra forma de ampliar o alcance das causas é pelo sistemas de embaixadores.

“Mais do que doar, o indivíduo faz uma página personalizada, multiplica o engajamento e mobiliza recursos em nome da causa", explica Antunes. É uma iniciativa exclusiva da Doare, como a de Natali Nepomuceno, que criou uma página para a campanha Corona no Paredão. "Todo mundo pode ter sua própria página, há embaixador que vai mobilizar mil reais, outros cem mil reais", completa.

Com 12 anos de existência, a Doare surgiu como canal para organizações receberem doações online pontuais e recorrentes. “Mal se falava de cobrança recorrente no mercado. Desenvolvemos sistemas únicos, com páginas de doações personalizadas, daí o nosso diferencial”, diz Antunes.

Segundo ele, houve mudanças não só no hábito brasileiro de doar, mas também para permitir que instituições de pequeno e médio porte pudessem fazer campanhas. “Conforme a tecnologia foi evoluindo, as organizações acompanharam e a cultura de doação foi aflorando”, conta.

Para ele, o grande salto foi na pandemia, quando foram batidos vários recordes em volume de doações. A Doare é parceria da Folha na Escolha do Leitor, categoria de voto popular do Prêmio Empreendedor Social, ao lado de PagSeguro PagBank e Movimento Arredondar.

Neste ano, a enquete se converteu também em plataforma de doação para beneficiar as 30 iniciativas destaque na resposta à Covid-19 no ano passado.

O CEO e cofundador do Vakinha, Luiz Felipe Gheller, também constata que houve um aumento considerável de doações no início da pandemia. “Na segunda semana houve um movimento solidário de ajuda para os outros”, lembra.

Segundo ele, agora está havendo uma retomada. “O pessoal está se remobilizando. Mais do nunca as organizações precisam de aporte, da volta das campanhas. Espero que as pessoas se sensibilizem como no começo da crise", diz.

No ar desde 2009, o Vakinha teve papel fundamental na popularização da cultura de doações. “É uma ferramenta que facilita a doação”, explia Gheller.

Em 2020, a plataforma registrou crescimento de 166% no número de doações realizadas, saltando de R$ 1,2 milhão para R$ 3,2 milhões. Além disso, o número de campanhas abertas na Vakinha também aumentou no período, indo de 400 mil, marca registrada em 2019, para 800 mil.

Atualmente, a plataforma registra média de 100 mil novas vaquinhas por mês, com categorias pré-determinadas, como educação e saúde.

Para contribuir, basta que o usuário se cadastre na plataforma e contribua com aquelas que mais se identifica. Além disso, quanto mais os colaboradores engajarem com a campanha e compartilharem em suas redes, maiores as chances de mais pessoas se impactarem com as histórias e realizarem suas doações.

Em 2020, a Benfeitoria lançou mais de 4.300 campanhas, sendo 3.000 apenas no novo modelo de metas flexíveis, com apoio de mais de 220 mil benfeitores. Foram mobilizados R$ 80 milhões, sendo R$ 36 milhões em crowdfunding e R$ 45 milhões em matchfunding.

Os resultados expressivos tornaram a Benfeitoria a primeira plataforma gratuita a atuar com comissão livre. Em uma década, já mobilizou mais de R$130 milhões de 500 mil colaboradores que deram vida a mais de 3.000 projetos.

Foi a primeira plataforma do mundo a não cobrar comissão obrigatória de quem arrecada, a primeira do Brasil a lançar crowdfunding recorrente e a trabalhar com editais de grande porte via matchfunding, modelo em que empresas ou instituições multiplicam as contribuições coletivas. Entre seus principais parceiros de fomento estão ONU Mulheres, Sebrae, Natura, Coca-Cola, BNDES, Ambev, Youse e Itaú.

Entre as campanhas na ativa na Benfeitoria neste momento estão "Família apoia Família" e "Salvando Vidas", que está em fase de captação junto a grandes empresas. “Doe agora, tempo é vida”, conclui Tatiana.

A seguir, algumas das campanhas de destaque nas três plataformas.

DOARE / ESCOLHA DO LEITOR

Corona no Paredão

Clique para votar no Comitê das Favelas

Clique para votar na Florescer

Clique para votar no Fundo Emergencial para a Saúde

Clique para votar na Heróis Usam Máscaras

Clique para votar no Humanizando a Pena, Protegendo a Vida

Clique para votar no + Manutenção de Respiradores

Clique para votar no Matchfunding Enfrente

Clique para votar na Missão Covid-19

Clique para votar no Unidades Móveis de Enfrentamento à Covid-19

Clique para votar na Vitalk

BENFEITORIA

Família apoia Família

Ancestralidade Floresce

Cordel Sim Senhora

Entrelinhas e Inovação

Hoje Eu só Volto Amanhã

Viva Roxy

VAKINHA

Quarentena sem Fome

Pandemia sem Fome

Fome Não

Esperança do Bem

Erramos: o texto foi alterado

O crescimento de R$ 1,2 milhão para R$ 3,2 milhões diz respeito ao número de doações realizadas, não ao valor captado pela Vakinha.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.