Companhias aéreas cortam cobertor, fone de ouvido e comidas contra coronavírus

Empresas trocam itens reutilizáveis por descartáveis e investem em limpeza de entretenimento com touch screen

Bancoc (Tailândia) | Reuters

Passageiros de alguns voos para a China terão que passar a viagem sem cobertores, jornais, fones de ouvido e refeições quentes. As medidas foram tomadas para proteger a tripulação e os viajantes do novo coronavírus que já matou mais de 130 pessoas no país.

A China Airlines, de Taiwan, disse que está pedindo que os passageiros levem suas próprias garrafas de bebida e anunciou que vai trocar itens reutilizáveis por descartáveis.

Funcionário da Thai Airways desinfeta o avião para prevenir infecção por coronavírus
Funcionário da Thai Airways desinfeta o avião para prevenir infecção por coronavírus - Athit Perawongmetha/Reuters

A companhia aérea e seu braço regional Mandarim Airlines também pararam de servir refeições quentes, substituíram guardanapos de pano por papel toalha nos voos para Hong Kong e não vão mais oferecer cobertores, travesseiros, toalhas, revistas e jornais. Bebidas e fones de ouvido serão oferecidos apenas quando requisitados. Vendas no duty free também serão interrompidas.

"O bolso em frente ao assento terá apenas o cartão de segurança da aeronave e um saco para caso de enjoo", disse Tigerair Taiwan, membro do grupo China Airlines. 

A Cathay Pacific Airways, de Hong Kong, disse que amenidades como toalhas quentes, cobertores e revistas não serão mais oferecidos em voos para a China continental.

Já a Thai Airways está usando spray desinfetante na cabine de passageiros e no cockpit em todos os voos que retornam da China. O entretenimento de bordo, com telas que são tocadas o tempo todo, vai receber atenção especial na limpeza. 

A Tailândia recebeu 11 milhões de chineses no ano passado. Com 14 casos confirmados de infecção, é o segundo lugar mais afetado fora da China. 

Outras empresas aéreas incluindo a Singapore Airlines passaram a permitir que membros da tripulação usem máscaras em voos para a China. 

Também há medidas mais drásticas. Companhias aéreas anunciaram a suspensão total ou parcial de voos para a China devido ao surto de coronavírus no país asiático. Empresas como British Airways, United, Air Canada e Cathay Pacific avisaram que vão, temporariamente, cancelar ou reduzir a quantidade de voos para cidades como Pequim e Xangai.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.