Descrição de chapéu Coronavírus Dias Melhores

Intervenção artística pinta ruas de São Paulo com pedido para ficar em casa e deter coronavírus

Diante do avanço da pandemia, vias, avenidas e praças recebem mensagens pelo isolamento social

Grupo de voluntários responsável pela intervenção termina a ação com a hashtag fiqueemcasa, em mensagem de otimismo pintada na praça Roosevelt, no centro de São Paulo; ao todo, 25 localidades vão receber as frases a partir desta segunda (20)

Grupo de voluntários responsável pela intervenção termina a ação com a hashtag fiqueemcasa, em mensagem de otimismo pintada na praça Roosevelt, no centro de São Paulo; ao todo, 25 localidades vão receber as frases a partir desta segunda (20) Mathilde Missioneiro/Folhapress

São Paulo

Quem trafega de carro pela rua da Consolação, na altura do número 1.515, em frente ao cemitério de mesmo nome, talvez não perceba de cara o que está escrito no asfalto. Ao juntar, porém, as 11 palavras finalizadas com uma hashtag, cuja cor branca ressalta do piche escuro, o recado está dado: “A cidade não está vazia. Está cheia de amor ao próximo #fiqueemcasa”.

A mensagem acima foi criada por um grupo de 15 paulistanos (12 dos quais atuando externamente e 3 outros reclusos) na madrugada da última segunda-feira (13). A intervenção demorou um pouco mais de dez minutos a ficar totalmente pronta. No fim da noite daquele mesmo dia, por volta das 23h, a ideia era repetir a obra na praça Roosevelt, também localizada no centro da capital.

A sentença já estava escrita, só faltava acrescentar a hashtag #fiqueemcasa, quando a GCM (Guarda Civil Metropolitana) apareceu. Alegou danos ao patrimônio público, classificou a ação de “vandalismo” e levou parte da turma para o 78º Distrito Policial, nos Jardins.

Ninguém ficou detido tampouco teve de pagar fiança. Foram liberados e ainda ouviram uma dica preciosa da delegada de plantão para que procurassem a prefeitura com o intuito de legalizar o manifesto.

“Era para ser uma ação marginal, uma intervenção artística sem qualquer cunho ofensivo”, explica Victor Ghiraldini, 42, produtor gráfico do Estúdio Miolo, na República (centro). Foi dele a ideia de mandar uma mensagem de otimismo para as pessoas ao ver, do alto do décimo andar do prédio onde mora na Consolação, as ruas vazias bem na véspera do domingo de Páscoa.

“No começo, pensei em algo para levar felicidade ao feriado, mas depois nos desvinculamos da data, com o objetivo de alertar a população sobre a necessidade da reclusão durante a pandemia do novo coronavírus”, segue ele.

A prefeitura paulistana apoia o projeto. “Estamos estimulando todas as manifestações artísticas, desde depoimentos em vídeo até intervenções urbanas, com mensagens de estímulo para as pessoas respeitarem o isolamento social”, explica Alê Youssef, articulador da ação Cidade Solidária, da Prefeitura de São Paulo, projeto que une administração municipal e entidades organizadas da sociedade civil para criar uma grande mobilização de voluntariado.

“A pandemia traçou uma linha civilizatória que separa os solidários daqueles individualistas, que só pensam em se dar bem. Estamos do lado da solidariedade.”

Além da Consolação e da praça Roosevelt, outros 23 endereços vão ganhar frases de apoio ao isolamento social a partir da madrugada desta segunda-feira (20).

Intervenção artística na rua da Consolação, região central de São Paulo, com o objetivo de alertar os paulistas com a #fiqueemcasa
Intervenção artística na rua da Consolação, região central de São Paulo, com o objetivo de alertar os paulistanos sobre o perigo da pandemia do novo coronavírus com a #fiqueemcasa - Bruno Santos/ Folhapress

Foram escolhidos pontos da metrópole em que costuma haver grande circulação de pessoas, como o viaduto do Chá, as avenidas Paulista e do Estado, a ponte Octavio Frias de Oliveira, o largo da Batata.

As ações se concentram, sobretudo, no chamado centro expandido. Haverá frases nas ruas de Perdizes, de Pinheiros e do Itaim, na zona oeste, assim como nas do Brás (leste) e do Ipiranga (sul).
As regiões periféricas também estão no radar.

Nas vias da cidade brasileira que hoje concentra o maior número de doentes e mortos pela Covid-19, outras frases compõem a intervenção artística, todas elas seguidas pela hashtag. “Cada rua vazia é uma multidão contra o vírus” e “Pelo bem de todos e felicidade geral da nação: fique em casa” constam do catálogo.

“Fiz mais de dez frases, mas decidimos começar com essas três. Outras poderão ser incorporadas”, conta o publicitário Marcelo Nogueira, 45, diretor de criação da premiada agência AlmapBBDO, autor das mensagens. “Estou há um mês angustiado dentro de casa. Queria muito ajudar. A gente precisa ajudar.”

Imagem mostra Victor Ghiraldini, 42, produtor gráfico do Estúdio Miolo, que teve a ideia de pintar frases motivacionais seguidas pela #fiqueemcasa, durante ação na praça Roosevelt; ao todo, 25 pontos da cidade vão receber as intervenções artísticas, que têm apoio da Prefeitura de São Paulo
Victor Ghiraldini, 42, produtor gráfico do Estúdio Miolo, que teve a ideia de pintar frases motivacionais seguidas pela #fiqueemcasa, durante ação na praça Roosevelt; ao todo, 25 pontos da metrópole vão receber as intervenções artísticas, que têm o apoio da Prefeitura de São Paulo - Mathilde Missioneiro/Folhapress

O grupo se apropriou do estêncil como técnica de impressão, pintado com rolos de tinta à base de água e cal numa lona vinílica de 15 m de extensão por 2 m de altura. A concepção das matrizes foi feita pelo Estúdio Miolo em parceria com Junior Ozires, da Impact Mídia Brasil.

“A urgência agora pede que as ruas sejam ocupadas. Não por gente, mas, sim, por mensagens que façam a população refletir e entender a importância de ficar em casa neste momento tão incerto”, sintetiza Ghiraldini​, mostrando que a arte e a palavra, unidas a serviço da vida, podem ajudar as pessoas a enfrentar estes tempos tão difíceis. ​Oxalá!

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.