Descrição de chapéu Coronavírus

Brasil patina de novo no controle da transmissão do coronavírus

Após ensaiar redução no contágio, país vê alta de taxa de infecção, indicam cálculos do Imperial College

Bruxelas

A taxa de contágio de coronavírus do Brasil, que indica a velocidade com que o patógeno está se espalhando entre a população, voltou a subir na semana que começou no domingo (6), indica cálculo de um dos principais centros de acompanhamento de epidemia do mundo, o MRC, do Imperial College.

O país havia registrado uma taxa de 0,94 na semana anterior, o que significava uma desaceleração da expansão da Covid-19, mas o indicador (conhecido como Rt) subiu para 1. Com isso, a velocidade de transmissão se mantém constante, dificultando o controle da epidemia.

A taxa de contágio brasileira ficou acima de 1 por 16 semanas seguidas desde o final de abril, e vem oscilando nas últimas quatro semanas: desceu abaixo de 1 em duas delas e ficou igual a 1 nas outras duas.

Nos 14 dias encerrados nesta quinta (10), foram registrados 480.733 novos casos de coronavírus, segundo dados do ECDC (Agência de controle de doenças transmissíveis). A soma é 22% menor que os 616.331 das duas semanas que se encerraram em 10 de agosto e 12% abaixo em relação à da quinzena que se encerrou no começo do mês.

Militares fazem desinfecção no Cristo Redentor, no Rio - Mauro Pimentel - 13.ago.20/AFP

A acurácia dos casos relatados, porém, também caiu, de acordo com as estimativas do Imperial College. O Brasil vinha registrando 64% das infecções pelo coronavírus, e agora registra 62,3%: mais de um terços dos casos não é detectado, de acordo com os cálculos.

Após ponderação pelo tamanho das populações, o Brasil é o terceiro país sul-americano com maior número de casos. Foram 228 diagnósticos por 100 mil habitantes nas duas semanas encerradas nesta quinta, atrás de Argentina (com 314/100 mil) e Peru (235/100 mil).

A oscilação da taxa de contágio em torno de 1 tem acontecido também em outros países sul-americanos. Nesta semana, cinco deles têm Rt calculado acima de 1: Paraguai (1,2), Argentina (1,17), Bolívia (1,07) e Chile e Venezuela (1,02).

A transmissão está perdendo força no Equador e Peru, ambos com Rt de 0,98: isso significa que cada 100 pessoas transmitem o coronavírus para outras 98, que por sua vez passam a doença para 96 e assim por diante, reduzindo a expansão da Covid-19.

O Imperial College calcula a taxa de transmissão com base no número de mortes reportadas, porque o dado é menos sujeito a subnotificações que o de casos registrados; como há uma defasagem entre o momento do contágio e a morte, mudanças nas políticas de combate à epidemia levam em média duas semanas para se refletirem nos cálculos.

De acordo com o acompanhamento da OMS, na América do Sul apenas a Guiana e Uruguai não apresentam transmissão comunitária de coronavírus.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.