Descrição de chapéu Coronavírus

Mais 3 estados adotam restrições como fechamento de praias e toque de recolher contra a Covid-19

Outras capitais também impõem medidas para tentar frear avanço de mortes e internações

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e Manaus

O agravamento da pandemia do novo coronavírus fez com que ao menos três estados anunciassem novas medidas restritivas nesta segunda-feira (1º), que vão do fechamento de praias ao toque de recolher.

Elas se somam a outros estados, como os três do Sul e São Paulo, que nos últimos dias divulgaram uma série de regras para tentar frear a disseminação do novo coronavírus e o aumento de internações e mortes provocadas pela Covid-19, como a suspensão de cirurgias não emergenciais em hospitais e a proibição da celebração de missas e da venda de bebidas alcoolicas.

Pernambuco anunciou nesta segunda a proibição de atividades não essenciais aos finais de semana, e nos dias úteis das 20h às 5h.

As medidas entram em vigor na quarta-feira (3), valem até o dia 17 de março e incluem o fechamento de praias, parques e clubes aos finais de semana.

"Estamos agora com 93% de ocupação em nossos leitos de terapia intensiva e nada aponta para a melhora desse quadro. A contaminação e a hospitalização decorrentes da Covid-19 estão em aceleração, e precisamos reduzir o contato social para frear essa escalada dos números”​, afirmou o governador Paulo Câmara (PSB).​

Nas praias, no entanto, continuam liberadas as atividades esportivas individuais.

Em Mato Grosso, o governo anunciou a adoção de toque de recolher entre 21h e 5h, com proibição de circulação, e o veto ao funcionamento de todas as atividades econômicas das 19h às 5h, de segunda a sexta-feira.

Aos fins de semana, a proibição dos serviços vai vigorar a partir das 12h de sábado até as 5h de segunda-feira.

Estão fora das restrições farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de combustíveis e indústrias. O transporte coletivo funcionará e os serviços de delivery poderão operar até as 22h.

As medidas entrarão em vigor nesta terça-feira (2) e serão válidas inicialmente por 15 dias. "Temos acompanhado o crescimento da pandemia de perto e o estrangulamento das UTIs [...] O governo está fazendo tudo o que pode, mas precisamos da ajuda da população para diminuir a circulação do vírus e essas internações", afirmou o governador Mauro Mendes (DEM).

Fiscais durante blitz em bar na Pompeia, em São Paulo
Para coibir o descumprimento do Plano São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde fez blitz em bares da região da Pompeia, em São Paulo - Bruno Santos/Folhapress

No Acre, o governo proibiu o funcionamento do comércio, incluindo restaurantes, bares e supermercados, aos finais de semana e feriados. Os estabelecimentos poderão funcionar apenas por meio de delivery, sem atendimento presencial.​

Também foi proibido, durante o fim de semana, frequentar espaços públicos de lazer.

Nos dias úteis, todos os estabelecimentos comerciais deverão ficar fechados das 22h às 5h. Os bares e shoppings serão obrigados a encerrar as atividades mais cedo, às 20h.​

Além de medidas anunciadas por governos, prefeituras também têm adotado mais restrições em meio ao agravamento da pandemia.

Em Goiás, novas determinações começaram a vigorar nesta segunda em Goiânia e outras sete cidades da região metropolitana.

Nos próximos sete dias estarão liberados serviços ligados à saúde, supermercados, bancos, lotéricas e ligados à agropecuária. Uma eventual prorrogação da medida será definida conforme a ocupação de leitos de UTI.

Na região Norte, em Boa Vista entrou em vigor nesta segunda um decreto que restringe o funcionamento de comércios e serviços não essenciais, como shoppings, restaurantes, bares, lanchonetes, academias e similares, até o dia 10.

O funcionamento de supermercados, postos de combustíveis, lojas de conveniências, padarias, lanchonetes, restaurantes, bares, academias e cultos religiosos só pode ocorrer de segunda a sexta, das 8h às 20h.

Lojas de comércios não essenciais, como roupas, além de clínicas e consultórios, podem funcionar das 9h às 20h, enquanto os shoppings podem abrir de 10h às 20h.

Aos finais de semana será permitido apenas o funcionamento de serviços de assistência à saúde e farmácias, delivery e drive thru apenas para produtos de saúde, higiene e alimentos.

No Amazonas, com exceção de Manaus, que vem reabrindo gradualmente o comércio e serviços não essenciais desde o dia 22, todos os 61 municípios do interior permanecem na fase roxa, a mais restritiva, com o comércio e serviços em geral fechados e restrição de circulação 24 horas por dia.

Em Manaus, que tem taxa de ocupação de leitos de UTI de 90%, seguem fechados bares, casas noturnas e praias. As lojas em geral, shoppings, restaurantes e academias estão funcionando com horários e lotação reduzidos.

Já em Macapá, novas medidas podem ser anunciadas nesta terça-feira (2), com definições sobre a prorrogação ou não do decreto atual. A vigência da medida, que estabeleceu toque de recolher e fechamento de bares e teatros, entre outras atividades, termina na noite desta segunda.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.