Saque bizarro chama atenção no tênis, mas regra diz que não deveria valer

Bernard Tomic venceu Nick Kyrgios com saque entre as pernas durante jogo de exibição

Bernard Tomic venceu o compatriota Nick Kyrgios com lance curioso durante jogo de exibição
Bernard Tomic venceu o compatriota Nick Kyrgios com lance curioso durante jogo de exibição - William West/AFP
São Paulo

Um saque bastante curioso chamou a atenção do mundo do tênis na última terça-feira (8), durante uma partida de exibição entre os tenistas australianos Bernard Tomic e Nick Kyrgios, em Melbourne.

Prestes a fechar o jogo, Tomic se preparava para o último ponto quando de repente soltou a bola e sacou por baixo das pernas. A bola teve força suficiente para ultrapassar a rede e quicar duas vezes na quadra de Kyrgios, encerrando o confronto em parciais de 6/3 e 6/4.

A partida serviu como preparação dos tenistas para o Australian Open.

Contudo, o ponto de Tomic só valeu pois se tratava de um jogo de exibição. Isso porque o saque foi feito após a bola quicar no chão, o que é proibido pela ITF (Federação Internacional de Tênis).

A irregularidade está prevista na regra 16 do livro de regras da entidade, cuja tradução pode ser consultada no site da Confederação Brasileira de Tênis.

"Imediatamente antes de começar o serviço, o sacador deve posicionar-se com ambos os pés atrás da linha de base (ou seja, quanto mais longe a partir da rede) e entre a linha imaginária da marca de centro e a linha lateral.

O sacador deve lançar a bola com a mão em qualquer direção e golpear a bola com a raquete antes que ele toque o solo. Considera-se que o serviço foi completado no momento em que a raquete do jogador golpear a bola ou mesmo passe por ela (não acertando a bola). O jogador está apto a usar a raquete para lançar a bola com a raquete se ele usa somente um braço", diz o texto.

O que o livro de regras não impede é que o saque seja feito por baixo, desde que a bola não toque o chão antes do contato com a raquete.

Dois saques por baixo entraram para a história do tênis. Um deles nas oitavas de final de Roland Garros de 1989 entre o americano Michael Chang e o tcheco Ivan Lendl, então número 1 do mundo. Chang fez o movimento curioso e terminou conquistando o título. Na oportunidade, os torcedores aplaudiram a ousadia do tenista.

Dez anos depois, em 1999, também na decisão do Grand Slam francês, a suíça Martina Hingis repetiu o feito diante da alemã Steffi Graf. Desta vez, o público reprovou a atitude de Hingis e continuou vaiando-a durante todo o set. Graf acabou ficando com o título.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.