Descrição de chapéu Seleção Brasileira

Com time mais europeu e menos conhecido, Brasil tenta vaga em Tóquio

Na última vez que jogou o Pré-Olímpico, seleção masculina de futebol fracassou

São Paulo

A seleção brasileira masculina sub-23 inicia neste domingo (19) sua caminhada no Pré-Olímpico sul-americano de futebol, contra o Peru, às 22h30, na Colômbia.

O torneio classificatório para a Olimpíada de Tóquio-2020 começa já neste sábado (18), com transmissão dos canais SporTV.

Atual medalhista de ouro com a geração consagrada por Neymar há quatro anos, o Brasil tentará sua quarta classificação consecutiva à competição depois de participações nos Jogos de 2016, disputados no país, de 2012, em Londres, e de 2008, em Pequim.

Matheus Cunha, atacante do RB Leipzig (ALE), é um dos atletas brasileiros que atua na Europa
Matheus Cunha, atacante do RB Leipzig (ALE), é um dos atletas brasileiros que atua na Europa - Lucas Figueiredo/CBF

Para a edição do Rio de Janeiro, a equipe nacional teve sua classificação assegurada por ser o país-sede da disputa. Na Inglaterra e na China, garantiu vaga após conquistar os títulos do Sul-Americano sub-20.

De 2007 a 2016, a Conmebol optou por substituir o Pré-Olímpico, e as classificações passaram a ser distribuídas via Sul-Americano (duas vagas) e Mundial sub-20 (quatro vagas).

Agora, para 2020, a entidade que controla o futebol do continente restituiu o Pré-Olímpico como classificatório para os Jogos do Japão. A disputa do torneio, na última vez que o Brasil precisou dele para ir à Olimpíada, não traz boas memórias ao torcedor.

Em 2004, a promissora geração de Diego e Robinho perdeu para o Paraguai por 1 a 0 no quadrangular final e viu o adversário carimbar o passaporte rumo a Atenas. Já os argentinos, campeões do Pré-Olímpico, foram à Grécia e conquistaram a medalha de ouro.

O revés se juntou às eliminações nos Pré-Olímpicos de 1992 e 1980, nos quais o Brasil também ficou sem a vaga nos Jogos. Juntamente com 1956, quando também não se classificou, foram as únicas vezes em que a seleção brasileira acabou fora de uma Olimpíada desde sua primeira participação na modalidade, em Helsinque-1952.

O elenco de 16 anos atrás era todo formado por jogadores que atuavam no futebol brasileiro. No time do técnico Ricardo Gomes, inclusive, boa parte da equipe era composta por atletas já consolidados entre os titulares de seus clubes.

Além de Diego e Robinho, Paulo Almeida, Alex e Elano também foram campeões brasileiros pelo Santos em 2002 e finalistas da Libertadores em 2003. Aquela seleção sub-23 de 2004 também tinha o goleiro Gomes, o zagueiro Edu Dracena e o volante Wendel, campeões nacionais com o Cruzeiro de Vanderlei Luxemburgo no ano anterior.

Outros nomes que viviam bom momento na época eram os atacantes Dagoberto, revelação do Athletico, e Nilmar, então destaque do Internacional.

Ao contrário da geração de 2004, o atual grupo da seleção, comandado pelo técnico André Jardine (ex-São Paulo), já tem alguns nomes que atuam no futebol europeu.

Contando com o meia-atacante Reinier, revelado pelo Flamengo e que está próximo de assinar contrato com o Real Madrid (ESP), são 8 jogadores que pertencem a clubes do exterior entre os 23 convocados por Jardine na lista final –34% do elenco.

Poderiam ser ainda mais jogadores da Europa, mas alguns clubes vetaram a convocação de atletas para a disputa do Pré-Olímpico, como nos casos de Emerson (Betis-ESP), Ayrton Lucas (Spartak Moscou-RUS), Gabriel (Lille-FRA), Ibañez (Atalanta-ITA), Douglas Luiz (Aston Villa-ING), Douglas Augusto (PAOK-GRE), Wendel (Sporting-POR) e Gabriel Martinelli (Arsenal-ING).

O atacante Matheus Cunha, por exemplo, fez apenas a formação nas categorias de base do Coritiba, mas se profissionalizou no Sion, da Suíça. Atualmente, ele defende o RB Leipzig (ALE).

O também atacante Paulinho, revelado pelo Vasco e provável titular no time de Jardine, transferiu-se ainda com 17 anos para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, onde joga desde 2018.

Além deles, o lateral-direito Dodô e o volante Maicon são companheiros no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Iago, lateral esquerdo revelado pelo Internacional, atua no Augsburg, da Alemanha. Seu colega de posição, Caio Henrique atuou emprestado ao Fluminense em 2019, mas pertence ao Atlético de Madrid, da Espanha.

No ataque, Bruno Tabata, criado nas categorias de base do Atlético-MG, joga no Portimonense, de Portugal.

O Brasil está no Grupo B do Pré-Olímpico, ao lado de Bolívia, Paraguai, Peru e Uruguai. Os dois melhores de cada grupo se classificam para um quadrangular final, que definirá as duas vagas olímpicas.

Os jogos da seleção brasileira na primeira fase

19/01 - Domingo
Brasil x Peru, 22h30

22/01 - Quarta-feira
Brasil x Uruguai, 22h30

28/01 - Terça-feira
Brasil x Bolívia, 22h30

31/01 - Sexta-feira
Brasil x Paraguai, 22h30

A equipe folga na rodada do dia 25 de janeiro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.