Descrição de chapéu Velocidade Coronavírus

F-1 adia mais dois GPs, e temporada deve começar em maio na Europa

Primeira prova ocorreria na Austrália neste domingo (15), mas acabou cancelada

São Paulo

A F-1 anunciou, nesta quinta (12) o cancelamento do GP da Austrália, que abriria o Mundial de 2020 neste final de semana. A organização do campeonato vinha sendo pressionada a abortar a corrida depois que um membro da equipe McLaren teve um diagnóstico de infecção pelo novo coronavírus.

Houve reuniões entre dirigentes durante boa parte da madrugada, em Melbourne, no circuito de Albert Park. Uma decisão era necessária porque havia duas sessões de treinos livres programadas para a sexta-feira (o primeiro às 22h de quinta, no horário de Brasília).

Nesta sexta (13), a categoria disse que a decisão tomada por todas as partes é de também adiar os Grandes Prêmios do Barein e do Vietnã. Eles aconteceriam nos dias 22 de março e 5 de abril, respectivamente.

Seria a estreia da etapa vietnamita no circuito mundial. Considerando também o GP da China, que já estava adiado, as quatro primeiras provas do ano foram suspensas em razão da pandemia de coronavírus.

A F-1 afirmou esperar que o início da temporada se dê apenas no final de maio e na Europa, sem especificar onde. O primeiro evento europeu programado no calendário é o da Holanda, com previsão para o dia 3 de maio e que, portanto, pode também sofrer alterações. A decisão ainda está sobre análise, dado o crescente número de casos de contaminação no continente.

Equipes trabalham nos boxes antes do anúncio do cancelamento - Loren Elliott/Reuters

A McLaren já havia avisado que não participaria dos eventos do final de semana na Austrália, mesmo antes de seu cancelamento, mas havia alguma insistência por parte dos dirigentes da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) em manter a agenda, o que não foi possível.

Vários pilotos já haviam manifestado contrariedade em relação à continuidade da programação. A preocupação existia sobretudo por causa do número de pessoas que trabalham em proximidade física, no espaço das escuderias no paddock.

“Estou muito, muito surpreso que estejamos aqui. Vimos o [presidente dos Estados Unidos, Donald] Trump fechar as fronteiras, a NBA foi suspensa. E estamos aqui”, disse o hexacampeão Lewis Hamilton, na quinta. “O dinheiro é rei”, acrescentou o britânico.

No fim, apesar do impacto econômico, a FIA decidiu cancelar o GP da Austrália. Houve uma votação entre as nove equipes que permaneceram no circuito após a partida da McLaren, e a maioria decidiu pela não realização da corrida.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.