Descrição de chapéu Futebol Internacional

Em série sobre clube inglês, produto sai melhor que a encomenda

'Sunderland Até Morrer', da Netflix, ganha ainda mais drama na 2ª temporada

São Paulo

"Por que nunca podemos comemorar?", pergunta uma torcedora do Sunderland na saída do estádio, após mais uma derrota de seu time.

A cena pode ser vista no episódio de encerramento da segunda temporada da série "Sunderland Até Morrer", disponível na Netflix, e resume o calvário que o clube tem vivido nos últimos anos, com dois rebaixamentos seguidos que o levaram da Premier League à terceira divisão do futebol inglês.

Torcedor do Sunderland em imagem da série "Sunderland Até Morrer"
Torcedor do clube assiste a jogo da equipe em imagem da série "Sunderland Até Morrer" - Netflix

Todo esse processo está devidamente documentado pelas lentes da produtora Fulwell 73, cujos sócios são curiosamente torcedores do Sunderland, que pensavam na série como a chance de mostrar o renascimento de uma das mais tradicionais equipes da Inglaterra.

O produto, porém, saiu melhor que a encomenda –para quem não torce pelo clube, é claro.

Se na primeira temporada o que se vê é o caos total de uma instituição mal administrada e o descenso para o terceiro escalão, na segunda o drama é construído pela possibilidade real de voltar à segunda divisão.

A chegada de um novo dono, Stewart Donald, que compra o Sunderland por 40 milhões de libras, devolve esperança à cidade, que responde com entusiasmo à tentativa dos novos dirigentes de recolocar o clube em um patamar mais respeitável.

Logo no primeiro jogo da liga sob a nova administração, a vitória por 2 a 1 sobre o Charlton, em casa, é conquistada com um gol aos 51 minutos do segundo tempo. Em um jogo no "Boxing Day" (26 de dezembro), a diretoria –cujas ações são centralizadas na figura do diretor Charlie Methven– estabelece a ousada meta de colocar mais de 40 mil torcedores no Stadium of Light. E consegue, com 46.039 espectadores, recorde na terceira divisão.

Os feitos e sucessos da primeira metade da temporada seriam o prêambulo ideal do renascimento, exceto pelo fato de que, quanfo foi lançada a série, já se sabia como a temporada havia terminado. O que não tira a emoção da segunda temporada, desenvolvida sob a tônica de proximidade da glória.

Como já havia sido na primeira parte, a produção manteve o padrão de acesso aos bastidores que consiste no grande mérito de "Sunderland Até Morrer" em comparação com produções semelhantes sobre clubes de futebol, nas quais a porta do vestiário e dos escritórios da diretoria marcam o limite onde as câmeras podem entrar ou não.

Um dos pontos que ilustra essa abertura é o episódio em que o dono e presidente Stewart Donald negocia a contratação de um jogador até os minutos finais do último dia da janela de transferências. Conversas com a diretoria, ligações com o técnico da equipe, Jack Ross, tudo isso é documentado e, aparentemente, sem filtro.

"Eu quero um artilheiro e não consigo contratar um", diz o presidente.

"Sim, o Real Madrid também", afirma o diretor de futebol a ele.

"Eu não ligo para o Real Madrid", responde Donald.

Entusiasta da ideia de contar com o centroavante norte-irlandês Will Grigg, ele aumenta sua proposta inicial de 1 milhão de euros para 3 milhões e, já com a janela de transferências se encerrando, consegue fechar o negócio. A chegada de Grigg ao Sunderland se transforma na contratação mais cara da história da terceira divisão.

Ao final da temporada, o atacante disputaria 11 partidas, incluindo os playoffs, e marcaria apenas um gol.

O Sunderland, como há muito tempo não ocorria, faz duas visitas ao mítico Estádio de Wembley, em Londres, casa da seleção inglesa e das finais de copas nacionais.

A primeira delas na final do Checkatrade Trophy, que réune os clubes da terceira e quarta divisões. No meio do caminho, a equipe vence o clássico regional contra o Newcastle, que disputa a competição com um time sub-21. E isso pouco importa para os torcedores do Sunderland.

Na final da taça, que reuniu mais de 85 mil torcedores, o time do nordeste inglês perde para o Portsmouth, nos pênaltis, depois de sair na frente do placar e manter o 1 a 0 até os 37 minutos do segundo tempo.

Já no final da temporada, o clube termina a liga em quinto e se classifica para os playoffs. Nas semifinais, passa justamente pelo Portsmouth, vingando-se da queda na decisão do Checkatrade Trophy.

Lance de jogo do Sunderland na terceira divisão inglesa, exibido na série da Netflix
Lance de jogo do Sunderland na terceira divisão inglesa, exibido na série da Netflix - Netflix

O último jogo, contra o Charlton, marca a segunda e última visita a Wembley e encerra a segunda temporada da série com a impressão de que, se os responsáveis pela produção tentassem prever um roteiro tão dramático, provavelmente não conseguiriam.

O Sunderland abre o placar aos 5 minutos de jogo. Aos 35, o Charlton, outro clube que circulou pela Premier League neste século, empata a partida. O gol da virada acontece como nas melhores crônicas de ficção sobre futebol: o zagueiro Patrick Bauer cabeceia, a bola rebate na defesa do Sunderland e volta para ele mais uma vez, que chuta para o gol, marcando o gol após desvio em outro defensor rival. Virada aos 49 minutos da etapa final e vaga na segunda divisão inglesa.

"Por que nunca podemos comemorar?", questiona a emocionada torcedora do Sunderland, que tocou o céu com as mãos nas duas idas a Wembley em um ano, viu o estádio lotar para um jogo de terceira divisão e, de certa forma, recuperou o brilho nos olhos de ver sua equipe jogar.

Essa esperança de resgate do clube, contudo, parece ter ficado no meio do caminho da viagem de volta para o nordeste do país.

Na atual temporada, interrompida pela pandemia do coronavírus, os torcedores já pediam pela saída do dono Stewart Donald. Will Grigg, a cara contratação feita pelo presidente, tem apenas oito gols em 49 jogos pela equipe, que ocupa a sétima colocação na tabela, fora da zona dos playoffs.

A produtora Fulwell 73 afirmou que não havia iniciado nenhuma gravação depois da segunda temporada, mas não descartou começar uma terceira. Material dramático, tratando-se de Sunderland, não faltará.

Sunderland Até Morrer

  • Ano 2020
  • Onde ver Netflix
  • Duração 6 episódios
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.