Descrição de chapéu Futebol Internacional

Ex-parceiro do Corinthians, Kia Joorabchian agora dá as cartas no Arsenal

Empresário iraniano é responsável por chegada de brasileiros na equipe inglesa

São Paulo

Kia Joorabchian, 49, nega ser agente de futebol. Ele se define como intermediário, aquele que azeita transações entre clubes e jogadores, mas afirma não administrar carreira de atletas.

Nessa posição, ele firmou parcerias com outros empresários, dos mais poderosos no esporte. Como já foram um dia o Corinthians e o Chelsea, seu clube preferido no momento é o também inglês Arsenal.

Identificado no Brasil até hoje por causa da parceria do clube do Parque São Jorge com a empresa MSI, da qual era sócio, Joorabchian montou o time com Tevez, Mascherano, Nilmar e Carlos Alberto que seria campeão brasileiro de 2005.

Mas o final traumático do acordo, em 2006, iniciou uma crise política e financeira que culminaria com o rebaixamento do clube para a Série B do Brasileiro, em 2007.

Kia deixou o Brasil enquanto era investigado sob suspeita de lavagem de dinheiro, acusação que sempre negou. Um pedido de prisão foi suspenso em 2008, e o processo acabou arquivado em 2014.

Casado com a advogada brasileira Tatiana Alonso Joorabchian, o empresário reside em Londres desde então. A partir da saída do técnico francês Arséne Wenger do Arsenal, em 2018, Kia se tornou o principal representante do Arsenal no mercado.

A sua empresa, a Sports Invest UK, passou a fazer a intermediação de jogadores que saem e chegam ao clube.

No início de agosto do ano passado, ele representou o Arsenal na venda do meia atacante Alex Iwobi para o Everton por 35 milhões de libras (cerca de R$ 262 milhões). Foram pagas comissões a Joorabchian e a Emeka Obasi, agente do jogador, que também recebeu como representante do Everton.

A negociação aconteceu um mês depois da chegada ao Arsenal do brasileiro Edu Gaspar como diretor técnico. O ex-volante revelado pelo Corinthians, mas que não estava no clube no período da parceria com a MSI, também defendeu o time inglês como jogador.

"Agora o Arsenal tem gente que entende de futebol. A questão é saber se haverá dinheiro [para contratações]", disse Joorabchian, em entrevista para a rádio inglesa Talksport.

Nos últimos anos de Wenger, o Arsenal deu preferência sempre a atletas jovens, de pouca experiência e que pudessem crescer na equipe e depois gerarem lucro. O francês gostava de moldá-los ao seu estilo de jogo.

O maior símbolo da mudança de filosofia foi a contratação na temporada passada do zagueiro David Luiz, 33. Joorabchian foi o responsável por levar o jogador para o time em uma negociação de cerca de 9 milhões de euros (cerca de R$ 56 milhões).

Criticado em alguns momentos, o defensor brasileiro fez parte do time campeão da Copa da Inglaterra deste ano e ganhou uma extensão contratual. Mas era o tipo de transação que o Arsenal não pensaria em fazer na época de Wenger.

Kia também intermediou a chegada do lateral português Cedric Soares, 28, em um empréstimo convertido em transferência definitiva. O mesmo aconteceu com os brasileiros Willian, 32, em uma parceria com o agente Giuliano Bertolucci, e o zagueiro Gabriel, que estava no Lille, da França.

Na primeira rodada da Premier League, diante do Fulham, o defensor marcou de cabeça e Willian participou de todos os gols na vitória por 3 a 0.

O armador estava no Chelsea, que era um dos principais parceiros de Joorabchian enquanto Wenger comandava o Arsenal.

Kia Joorabchian ao ser apresentado como parceiro do Corinthians em 2004
Kia Joorabchian ao ser apresentado como parceiro do Corinthians em 2004 - Fernando Santos-30.ago.04/Folhapress

Naquela época, o iraniano que também tem cidadania britânica levou para o time os brasileiros Ramires, Oscar, Lucas Piazon e também David Luiz. Em alguns casos, em parceria com o agente Giuliano Bertolucci. Quando Alexandre Pato teria de voltar ao Corinthians em 2016, após empréstimo ao São Paulo, foi Kia quem lhe conseguiu um contrato de seis meses no Chelsea.

Ele também fez negócios e colocou atletas no Manchester City (onde acertou as contratações de Robinho, em 2008, e Tevez, em 2009), Queen's Park Rangers e Reading.

Também continuou a fazer negociações com equipes brasileiras por meio de jogadores registrados no Deportivo Maldonado, do Uruguai.

Para Joorabchian, negociar com o Arsenal pode ter um sabor especial, já que ele é torcedor da equipe. Hoje em dia vê os jogos no camarote da diretoria no Emirates Stadium, mas antes disso tinha o seu próprio, ao valor de 100 mil libras por ano (cerca de R$ 730 mil).

Se a campanha do Arsenal for boa, servirá para calar os críticos, para os quais o clube errou ao substituir o sistema estabelecido de análise de jogadores e olheiros espalhados pelo mundo pelo aconselhamento do iraniano.

O Arsenal terminou em oitavo a última temporada e não conseguiu vaga para a Champions League. A última vez que a equipe disputou a competição foi na temporada 2016-2017. Isso apesar de, no último ranking da Deloitte dos clubes mais ricos do mundo, a equipe estar em 11º, com arrecadação de 445,6 milhões de euros por ano.

A Folha tentou falar com Kia Joorabchian, mas não conseguiu contato. O Arsenal nega qualquer influência do iraniano na política de contratações da equipe.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.