Descrição de chapéu Copa Libertadores 2020

Saiba onde ver as oitavas da Libertadores e como chegam os brasileiros

Palmeiras, Santos, Flamengo, Grêmio, Internacional e Athletico estão vivos no torneio

São Paulo

Começarão nesta semana as oitavas de final da Copa Libertadores. Seis equipes brasileiras estão vivas na luta pelo título e chegam ao mata-mata em diferentes momentos, em uma temporada atípica, com altos e baixos para todas elas.

A dupla Gre-Nal ilustra bem a gangorra. O Grêmio, que tinha problemas, vem de 12 partidas sem derrota, com nove vitórias e três empates. O Internacional, que liderava o Campeonato Brasileiro, despencou com a saída do técnico Eduardo Coudet e foi eliminado da Copa do Brasil.

Os colorados têm agora um desafio duro pela frente: enfrentarão Boca Juniors, da Argentina. Já a formação tricolor medirá forças com o Guaraní, do Paraguai, que eliminou o Corinthians na fase preliminar da competição.

Assim como o Inter, o Athletico terá de encarar um gigante argentino, o River Plate. A equipe paranaense terá oito desfalques por causa da Covid-19.

O atual campeão Flamengo, ainda tentando se acertar sob comando de Rogério Ceni, é outro time que vai à Argentina. Seu adversário é o Racing.

O Santos vai atuar no Equador, tendo a altitude de Quito e a LDU como obstáculos. O Palmeiras, dono da melhor campanha na fase de grupos, duelará com o Delfín, também do Equador, enquanto luta contra um surto de Covid-19 em seu elenco.

LDU x Santos

Terça-feira (24), 19h15, Fox Sports

A abertura das oitavas de final para o Santos será nos 2.850 metros de Quito. Voltar do Equador com um resultado razoável é tudo o que busca a formação alvinegra, que luta para superar um bom adversário e os efeitos da altitude.

Jogando em casa, a LDU venceu suas três partidas até aqui na Libertadores. Derrotou o River Plate por 3 a 0, fez 4 a 2 no São Paulo, goleou o Binacional por 4 a 0 e avançou em uma chave complicada, deixando os são-paulinos no caminho.

Fora de Quito, porém, o time só derrotou o frágil Binacional, levando 3 a 0 do São Paulo e do River. Por isso, os jogadores do Santos acreditam que estarão em boa posição se não retornarem do Equador em grande prejuízo.

O atacante Marinho é uma das esperanças do Santos na tentativa de sair do Equador com um bom resultado - Pedro Ernesto Guerra Azevedo - 9.out.10/Santos FC

A equipe brasileira continua sem poder contar com o técnico Cuca, em recuperação de Covid-19, e tem desfalques em campo pelo mesmo motivo. João Paulo, Madson e Sandry, com testes positivos para o novo coronavírus, não viajaram com o grupo.

Marinho e Soteldo, por outro lado, estão confirmados no time, que será dirigido pelo auxiliar Marcelo Fernandes no estádio Casa Blanca.

Athletico x River Plate

Terça-feira (24), 19h15, Conmebol TV

A derrota para o Peñarol, de virada, no fechamento da fase de grupos, teve seu custo ao Athletico. A equipe acabou perdendo a liderança da chave, avançou em segundo lugar e encontrou o River Plate.

O time paranaense terá oito desfalques de jogadores que estão com a Covid-19. Na semana passada, o meia Fernando Canesin e o atacante Geuvânio já haviam recebido resultado positivo no teste para o vírus. O mesmo aconteceu nesta segunda (23), com os goleiros Santos e Jandrei, o zagueiro Zé Ivaldo, o lateral esquerdo Abner, o volante Alvarado e o meia-atacante Nikão.

Finalista das duas últimas edições da Libertadores, o River tem novamente mostrado qualidade no torneio em 2020. Nem a longa parada no futebol de seu país tirou dos trilhos a formação dirigida por Marcelo Gallardo, que eliminou o São Paulo no Grupo D.

“Sabemos das dificuldades. Mas sabemos também que, se passarmos pelo River, vamos olhar lá para cima. Se você elimina um dos principais candidatos ao título, o moral se eleva, a confiança sobe. Vai ser muito difícil”, previu o técnico Paulo Autuori.

Gallardo também procurou mostrar respeito pelo adversário, dizendo que o Athletico “é uma equipe difícil em sua casa”. O duelo terá sua primeira perna na Arena da Baixada e será decidido em Avellaneda, na próxima semana.

Racing x Flamengo

Terça-feira (24), 21h30, SBT e Fox Sports

Eliminado pelo São Paulo da Copa do Brasil em seu início no Flamengo, Rogério Ceni espera ter melhor sorte na Libertadores. Atual campeã, a equipe rubro-negra duelará com o Racing nas oitavas, começando a disputa na Argentina.

O adversário não vive bom momento. A campanha na primeira fase foi boa, com 15 pontos, atrás do Nacional-URU apenas no saldo de gols, mas já são quatro derrotas consecutivas no Campeonato Argentino.

“Não temos que comparar os últimos resultados. É uma equipe argentina, jogando Libertadores e na Argentina. É muito difícil para qualquer time”, afirmou Ceni, que foi campeão da competição como goleiro do São Paulo, em 2005.

Como treinador, ele já sofreu nas mãos do atual comandante do Racing, Sebastián Beccacece. Era ele o técnico do pequeno Defensa y Justicia, que derrubou o São Paulo dirigido por Rogério, no Morumbi, na primeira fase da Copa Sul-Americana de 2017.

O meia uruguaio Arrascaeta vem de uma boa partida e é uma das armas do Flamengo na Argentina - Alexandre Vidal - 26.jun.20/Flamengo

Delfín x Palmeiras

Quarta-feira (25), 19h15, Fox Sports

O Palmeiras, em tese, levou sorte no sorteio. Vai enfrentar o Delfín, do Equador, uma jovem equipe que se classificou fazendo apenas sete pontos no Grupo G. O problema é que o time alviverde vive um surto de Covid-19 em seu elenco e enfrenta dificuldades na escalação.

Foi com uma formação desfigurada que a equipe perdeu para o Goiás, lanterna do Brasileiro, no último final de semana. Mas o técnico Abel Ferreira espera que a nova rodada de testes lhe ofereça reforços para a viagem à cidade de Manta –que, no litoral, não tem altitude para incomodar.

A expectativa é que até dez dos jogadores que estavam infectados pelo novo coronavírus estejam à disposição. É certo, porém, que o centroavante Luiz Adriano não jogará nenhuma das partidas contra os equatorianos por causa de uma lesão muscular na coxa esquerda.

“Temos que continuar a resolver problemas, porque eles estão aí. Vamos continuar fazendo o melhor que pudermos”, afirmou o treinador português, que coleciona quatro vitórias, um empate e uma derrota desde sua chegada ao Brasil.

Internacional x Boca Juniors

Quarta-feira (25), 21h30, Conmebol TV

Líder do Brasileiro há pouco tempo, o Internacional desmoronou após a saída do técnico argentino Eduardo Coudet, que foi trabalhar na Espanha. Desde a chegada de Abel Braga, o time perdeu três de quatro jogos –a única vitória foi seguida de derrota nos pênaltis e eliminação.

Fora da Copa do Brasil, a equipe colorada tenta reagir em um confronto duro na Libertadores. Após uma campanha irregular no Grupo E, no qual obteve oito pontos, ela enfrentará o argentino Boca Juniors, que se classificou com folga na liderança de sua chave.

“Se soubéssemos qual é o problema, teríamos resolvido. Realmente, a coisa não está legal. Os resultados estão ruins, mas não podemos parar. Precisamos continuar trabalhando”, afirmou o auxiliar técnico Leomir de Souza, que dirigiu o Inter na derrota para o Fluminense.

Infectado pelo novo coronavírus, Abel não ficou no banco do Beira-Rio no domingo (22) e não deverá ficar na quarta. Ele definirá, porém, a escalação que tentará dar vantagem ao time gaúcho antes da visita a Buenos Aires para o jogo de volta.

Guaraní x Grêmio

Quinta-feira (26), 21h30, Facebook Watch

O Grêmio tenta evitar a armadilha na qual já caiu duas vezes o Corinthians na Copa Libertadores, a última delas neste ano. Diante do Guaraní, do Paraguai, os campeões de 2017 esperam cumprir seu papel e evitar uma zebra.

A equipe de Renato Gaúcho vem em ascensão no Brasileiro, apesar de um empate sem gols com o Corinthians, no último domingo, mesmo tendo dois atletas a mais em boa parte do jogo. Na disputa continental, a campanha é sólida até aqui, com apenas uma derrota.

Já o Guaraní, depois de derrubar San José, Corinthians e Palestino na pré-Libertadores, ficou com a segunda colocação no grupo encabeçado pelo Palmeiras. O time quer começar bem a disputa em Assunção e chegar ao Rio Grande do Sul em vantagem.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.