Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/06/2011 - 17h38

Scolari viaja para Portugal, e Palmeiras e DIS se entendem

Publicidade

LUCAS REIS
DE SÃO PAULO

A crise entre o fundo DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, e o Palmeiras parece caminhar para uma solução pacífica.

Em reunião na tarde desta terça-feira entre representantes do fundo, Roberto Frizzo, vice-presidente, Galeano, coordenador técnico, e o volante Tinga, clube e empresa se comprometeram a tratar da renovação contratual do atacante Vinícius, 17.

Luiz Felipe Scolari, pivô do impasse, foi para Portugal resolver problemas pessoais, segundo a assessoria do clube.

Rivaldo Gomes - 8.abr.11/Folhapress
O atacante Vinicius descansa durante treino do Palmeiras
O atacante Vinicius descansa durante treino do Palmeiras

A permanência de Tinga, vetado por Felipão por causa da briga com a DIS, deve ser definida até sexta-feira.

"A diretoria não tem a mesma posição de Scolari, que disse que roubamos jogadores", disse Guilherme Miranda, do DIS.

O DIS mantém 20 jogadores no Palmeiras. Felipão vetou Vinícius e disparou contra o fundo, reclamando do assédio em cima do jovem atacante. Tinga, que não tinha nada a ver com a história, também acabou vetado e pode até deixar o clube.

Scolari chamou de 'roubo' e 'agiotagem' o assédio dos empresários sobre o atacante Vinícius, de 17 anos, que chegou a receber e recusar proposta da Udinese, da Itália.

Na visão do treinador, os empresários também poderiam forçar a permanência de Vinícius no Palmeiras até o ano que vem sem renovar o contrato, quando o jogador poderia fazer pré-contrato com outro clube, e o clube alviverde, então, não ganharia nada na negociação.

Arte/Folhapress

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página