Descrição de chapéu Todo mundo lê junto pantanal

'Precisamos mudar, temos um planeta só', diz ator de 'Endlings'

Série canadense sobre preservação do meio ambiente estreia no canal Gloob

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

As notícias avisaram recentemente que, no ano de 2040, pode ser que os elefantes que vivem na África sejam completamente extintos —o que significa que deixariam de existir para sempre.

E os principais responsáveis por essa tragédia, se ela acontecer, serão os caçadores ilegais. Eles matam os animais para vender suas presas.

Inspirados por este alerta, artistas do Canadá escreveram uma nova série de TV chamada “Endlings”, que acaba de estrear no Brasil, no canal por assinatura Gloob.

Elefante caminha para fora de um galpão, enquanto uma jovem e um homem caminham à sua frente
Elefante Tuko caminha para fora de galpão, em cena da série canadense "Endlings", exibida no canal Gloob - Divulgação

Logo no primeiro episódio, já se fala sobre os elefantes em risco, com a participação do personagem Tuko.

Na época em que se passa a série, justamente 2040, Tuko é o último animal da sua espécie —e bichos nesta condição são chamados de “endlings”.

Para salvar o elefante, vem ao nosso planeta, em uma missão intergaláctica, um misterioso alienígena.

E a história toda começa quando este alien cai no terreno do orfanato em que moram quatro adolescentes: Finn, Johnny, Tabby e Julia.

“Endlings” é uma série cheia de efeitos especiais, que coloca em contato humanos e extraterrestres. Os 12 primeiros episódios prometem falar bastante sobre união, cooperação e, claro, sobre a preservação do meio ambiente no mundo.

O elenco principal de “Endlings” conversou com a Folhinha em uma entrevista feita pelo aplicativo Zoom.

Michaela Luci e Kamaia Fairburn, que fazem Tabby e Julia, disseram que sabiam que o Brasil é um país quente —e que elas invejam isso.

“Pesquisei sobre o Brasil, e vi que o tempo aí é sempre ótimo e ensolarado. Eu queria ter isso. Moro no Canadá, e aqui é superfrio no inverno”, contou Michaela, 14 anos.

Cale Ferrin, 14, na série é Finn, e falou que conhece pelos livros a Amazônia e a Mata Atlântica. “Também assisti ao filme ‘Rio’”, completa

Nenhum deles, no entanto, conhecia o Pantanal. Esta, que é uma das maiores áreas verdes do país, passou metade de 2020 pegando fogo, em incêndios por ação humana.

Vários animais morreram, entre eles muitas onças-pintadas. Elas estão ameaçadas de extinção. O Brasil, aliás, tem muitos animais sob este risco: são mais de 1.000 espécies. A ararinha-azul e a toninha são algumas delas (veja outras ao lado).

“‘Endlings’ mostra que, não é porque você é uma criança, que é menos capaz de fazer mudanças no seu planeta”, lembra a atriz Kamaia Fairburn, 17, que interpreta Julia.

Michaela acha que as crianças podem reduzir a quantidade de plástico, e também reciclar roupas. “Sou uma criança, cresço rápido. As peças deixam de me servir, e eu encontro uma nova casa para elas.”

Cale acredita que crianças são capazes de muitas coisas. “Precisamos mudar. A gente tem um planeta só”, resume. Edison Grant, que tem 17 anos e em “Endlings” é Johnny, concorda.

“Eu pensava que, se algo não era problema meu, não tinha importância. E ‘Endlings’ me ensinou que não é por aí. Acho que a série pode ensinar outras crianças que pensam como eu pensava.”


ENDLINGS

Canadá, 2019. Direção J. J. Johnson. Com Cale Ferrin, Michaela Luci e outros. De seg. a sex., às 14h. Episódios já exibidos no aplicativo Canais Globo.

TODO MUNDO LÊ JUNTO

Texto com este selo é indicado para ser lido por responsáveis e educadores com a criança

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.