Descrição de chapéu Rock in Rio

Dave Matthews Band tem melhor técnica do Rock in Rio, mas não empolga

Parte da plateia assistiu ao show sentada e parecia já esperar por Bon Jovi

Ivan Finotti
Rio de Janeiro

Dave Matthews e sua banda entraram com seu soft rock pouco antes 22h30 do domingo (29) no palco Mundo, o principal do Rock in Rio.

Apesar da pesada abertura, com “Don’t Drink the Water”, muita gente acompanhava o show sentado, uma vez que havia muitos lugares abertos. O festival estava bem menos cheio do que nos dias anteriores.

A Dave Matthews Band, tecnicamente, toca provavelmente melhor que qualquer outra banda até agora no Rock in Rio 2019. O problema é que seu líder tem zero carisma. Não empolga ninguém e não parece empolgado por nada. Todos pareciam estar simplesmente esperando o grupo que fecharia a noite, Bon Jovi.

Dave Matthews em apresentação no terceiro dia do Rock in Rio
Dave Matthews em apresentação no terceiro dia do Rock in Rio - Eduardo Anizelli/Folhapress

Com cara e jeito de mecânico dos Estados Unidos profundo, falta energia a Dave Matthews. Muito difícil, assistindo a apenas esse show, entender como esse cara já vendeu cerca de 90 milhões de discos desde 1994, conforme diz a gravadora.

Em uma tentativa de se aproximar do público, Matthews disse “Eu amo Ivete”, com aquele sotaque risível. Ninguém respondeu.

Após a metade do show, o artista atacou de Peter Gabriel. “Sledgehammer”, de 1994, tem feito parte de sua turnê desde 2018, mas empolgou apenas público próximo ao palco.

O final foi um grande medley, com “Back in Black”, do AC/DC, misturada com “Staying Alive”, dos Bee Gees, seguindo para um jazz-rock animado. Mesmo assim, não empolgou a plateia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.