Descrição de chapéu
Cinema

Em 'Foro Íntimo', paralisia que afeta o personagem acomete também o roteiro

Protagonista exemplifica a luta contra a corrupção ao investigar um senador suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas

Cássio Starling Carlos

Foro Íntimo

  • Quando Estreia nesta quinta (26)
  • Classificação 12 anos
  • Elenco Gustavo Werneck, Jefferson Da Fonseca Coutinho, Bia França
  • Produção Brasil, 2017
  • Direção Ricardo Mehedff

A intervenção no logotipo institucional que o público do cinema brasileiro sempre vê antes da abertura dos filmes chama a atenção, como um ruído, para a proposta política de “Foro Íntimo”.

O primeiro longa de Ricardo Mehedff apaga o verde e amarelo do símbolo para adaptá-lo à fotografia em preto e branco que o diretor escolheu para sua claustrofóbica ficção.

O Brasil aparece aqui descolorido, apagado, sem vida mesmo. Não há natureza e toda espacialidade é substituída pela limitação de uma sala onde um juiz dorme, trabalha, come e toma banho sob a vigília ininterrupta de seguranças.

O personagem exemplifica a luta contra a corrupção ao investigar um senador suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas. As ameaças que recebe o obrigam a viver isolado dentro do fórum, afastado da família e do mundo. Ou seja, um ponto de partida que interpela o Brasil em que vivemos.

A arquitetura e a geometria definem os limites dos movimentos do personagem, assim como a burocracia fecha todas as saídas para Joseph K. em “O Processo”, de Kafka e da versão cinematográfica de Orson Welles.

Arquivos, estantes, mesas, biombos, persianas e janelas bloqueiam a circulação e também o campo de visão do personagem.

Mehedff ressalta esta situação opressiva por meio de uma estética expressionista. Angústia e opressão não são sentidas apenas na interpretação introspectiva de Gustavo Werneck, elas se refletem também nas linhas retas da arquitetura, na rigidez do concreto e no contraste secos da fotografia em preto e branco.

A elaborada concepção formal de “Foro Íntimo” não encontra, porém, um desdobramento na dramaturgia do filme. A paralisia que afeta o personagem acomete também o roteiro, que avança indeciso entre o drama psicológico e a alegoria política, entre seguir a linha da suspeita ou a da paranoia.

Ao apostar a maioria de suas fichas no abstracionismo, “Foro Íntimo” ficou parecido com um esboço, algo como um competente projeto arquitetônico que ainda não foi habitado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.