MPF pede que Roberto Alvim responda criminalmente por apologia do nazismo

O pedido surgiu após o vídeo polêmico em que o ex-secretário parafraseia um discurso de Joseph Goebbels

São Paulo

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) do Ministério Público Federal acatou nesta segunda-feira (20) a representação apresentada pelo deputado federal Alexandre Padilha (PT) contraex-secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim.

 
Contra o discurso de ódio e evocação do nazismo, a PFDC solicitou o enquadramento do ex-secretário para responsabilidade criminal de apologia do nazismo, revisão das nomeações autorizadas por Alvim enquanto secretário e a revogação imediata do Prêmio Nacional das Artes, que está baseado nos conceitos éticos e estéticos sobre a cultura. 

O pedido surgiu após o vídeo polêmico em que Alvim parafraseia um discurso de Joseph Goebbels, ministro da Alemanha nazista.

A documentação foi feita em parceria com a ex-deputada federal Clara Ant, José Geraldo, ex-reitor da Universidade de Brasília, Marcio Felippe, ex-procurador do estado de São Paulo, e o advogado Patrick Gomes.

"Obtivemos uma vitória importante contra o obscurantismo do governo Bolsonaro e seus defensores que defendem regimes autoritários. Aguardaremos os próximos passos do conjunto da Justiça para que contenhamos de vez qualquer avanço do nazismo no nosso país", afirma Padilha.

O pedido vai agora para análise da Procuradoria da República do Distrito Federal.

Montagem Goebbels e Roberto Alvim
Montagem Goebbels e Roberto Alvim - Montagem

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.