Descrição de chapéu Livros

Chico Buarque agradece prêmio Camões e pede 'cheirinho de alecrim'

Bolsonaro não assinou condecoração, que costuma ter assinatura de presidentes

São Paulo

Chico Buarque agradeceu em vídeo o recebimento do prêmio Camões, principal troféu literário da língua portuguesa.

A cerimônia de entrega aconteceria neste sábado (25), mas a pandemia do novo coronavírus impediu que o evento acontecesse. Foi no mesmo dia, em 1974, que aconteceu a Revolução dos Cravos em Portugal, que pôs fim ao Estado Novo português.

"Nesta tarde, deixarei na janela cravos vermelhos e cantarei em alto e bom som 'Grândola, Vila Morena', de Zeca Afonso", disse Chico.

A canção se tornou símbolo da derrubada da ditadura salazarista. No Brasil, a canção fez sucesso na voz de Nara Leão.

"Se possível, peço ainda a vocês que guardem um pensamento aos seus irmãos brasileiros, que estão, mais do que nunca, necessitados de um cheirinho de alecrim", pediu Chico aos portugueses.

O diploma do prêmio é assinado pelos presidentes do Brasil e de Portugal, mas Jair Bolsonaro deu a entender nesta semana que não vai firmar o documento concedido ao compositor em cerimônia que estava marcada para sábado (25), mas foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus.

"Até 31 de dezembro de 2026, eu assino", afirmou Bolsonaro, referindo-se à sua reeleição. Seu mandato termina em dezembro de 2022.

No dia seguinte, Chico usou usou as redes sociais para ironizar a fala do presidente e responder ao comentário. "A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo prêmio Camões", escreveu.

O Camões, criado em 1988, elege todo ano um autor de qualquer país falante do português. A escolha é um reconhecimento da obra completa do autor, em vez de apenas a uma obra específica. O último brasileiro eleito havia sido Raduan Nassar, autor de "Lavoura Arcaica", em 2016. No ano passado, o Camões foi para Germano de Almeida, escritor de Cabo Verde.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.