Descubra seis programas de culinária diferentões para desanuviar no isolamento

Há competições com geladeiras de celebridades, cachorro chef e receitas com maconha

São Paulo

Os tempos de pandemia criaram ou intensificaram certos hábitos. Por exemplo, nunca se assistiu tanto à televisão como agora nem se cozinhou tanto em casa quanto nesses meses intermináveis.

A intersecção das duas atividades é dada pelos programas de culinária, que alcançam picos de audiência proporcionais ao crescimento dos bolos e pães cujo preparo doméstico eles inspiram.

Mas cem dias passados para muita gente assistir na TV a meros manuais de culinária, didáticas aulas de cozinha, com seu morno passo a passo, começa a cansar tanto quanto acompanhar as aulas remotas da escola dos pequenos.

Calma. Ainda não é hora de desespero.

Escavando a oferta gigantesca de programas de TV, especialmente nas opções a cabo e no streaming (mas também na internet), é possível encontrar outra vertente de programas de comida. A daqueles em que a culinária, mesmo quando aparenta ser o tema central da atração, na verdade aparece de forma diferente e inesperada. Chegando às vezes a ser mera coadjuvante de roteiros de humor e até mesmo mero pretexto para performances alopradas ou surreais.

Veja a seguir seis sugestões de programas divertidos, até bizarros, para desanuviar um pouco a cabeça enquanto pensa na próxima refeição cujo preparo cairá nas suas mãos.

Chef & My Fridge

Divertido reality show coreano que, ao contrário do usual, não se leva a sério, sua maior qualidade. A competição culinária é baseada no conteúdo da geladeira de alguma celebridade —a geladeira é içada por um guindaste e levada ao estúdio com tudo o que tem dentro, inclusive eventual comida estragada ou ingredientes estranhos.

A série está disponível na Netflix.

Cooking with Dog

Websérie japonesa. Nela, com a maior naturalidade, um cachorro chamado Francis assume o papel de chef instrutor e começa, num inglês fortemente nipônico, a dar instruções para uma assistente sem nome e que praticamente não fala —apenas obedece e executa apetitosas receitas de cozinha japonesa, muito bem explicadas.

A série está disponível no seu site oficial.

​Cozinhando em 4:20

O título em português se refere à data —20 de abril— em que se celebra o Dia da Maconha. O título original, menos enigmático ("Cooking on High"), fala de gente cozinhando chapada, e é disso que se trata: um reality em que os competidores cozinham e comem pratos com maconha —provavelmente depois de terem consumido a erva pelas vias usuais.

A série está disponível na Netflix.

Food Party

Nesta série americana do Independent Film Channel, gravada há dez anos, a artista multimídia Thu Tran, descendente de vietnamitas, cozinha num cenário onírico com intervenções alucinantes, bonecos de todo tipo e roteiro surrealista. Algumas receitas parecem dar certo, outras são puramente performáticas, muitas vezes apenas jocosas.

A série está disponível na Amazon e no IFC, mas também há alguns episódios no YouTube.

Mandou Bem

Outro reality, este americano, que não se leva muito a sério, mas, como todos, abusa da fraca natureza humana. Por um prêmio de US$ 10 mil (equivalente a R$ 53 mil), competidores sem talento para a confeitaria (parece que realmente são escolhidos os piores) precisam executar receitas de bolos com complicados detalhes de decoração. Escracho total e resultados bizarros.

A série está disponível na Netflix.

Samurai Gourmet

Série japonesa que mistura a vida pacata de um aposentado com delírios ligados a um novo mundo que ele descobre —o dos prazeres da mesa. Neles, nosso personagem mergulha induzido por uma alucinação recorrente: as aparições de um antigo samurai que o incentiva a apreciar a comida.

A série está disponível na Netflix.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.