Morre aos 75 anos a fotógrafa Vania Toledo, grande cronista da noite e do jet-set

Morte aconteceu após complicações de uma infecção urinária generalizada, que levou à internação da artista há dois dias

São Paulo

A fotógrafa Vania Toledo morreu, aos 75 anos, na madrugada desta quinta-feira (16), após dois dias internada no hospital Santa Casa da Misericórdia, em São Paulo, devido a complicações causadas por uma infecção urinária.

Thiago Avellar, sobrinho da fotógrafa, informou que ela chegou ao hospital com infecção urinária, que depois se tornou generalizada e causou três arritmias cardíacas.

A fotógrafa brasileira Vânia Toledo, em 20 de agosto de 1995
A fotógrafa brasileira Vânia Toledo, em 20 de agosto de 1995 - Reprodução

​​Vania Toledo ficou conhecida por registrar cenários da noite paulistana e fotografias de corpos nus. Nascida em Paracatu, a artista estudou ciências sociais na Universidade de São Paulo em 1973, trabalhou na editora Abril, publicou quatro livros e realizou uma série de exposições.

A artista também fotografou diversas pessoas famosas dentro e fora do Brasil. Em "Homens", lançado em 1980, Caetano Veloso e Ney Matogrosso foram alguns dos nomes que tiraram a roupa diante de sua câmera.

"Eu fiquei muito tímida diante de Warhol, porque ele tinha maquiagem, peruca, era um homem 'fake', mas de ousadia estética enorme", disse Toledo à Folha em 2008, contando detalhes de quando fotografou seu maior ídolo, Andy Warhol, considerado o ícone da pop art. "Ele me ensinou a liberdade de fotografar com uma câmera qualquer para fazer algo que você possa mostrar com orgulho."

Toledo deixa um filho, Juliano, de 47 anos. O velório da fotógrafa acontecerá na quinta (16), no crematório Bosque da Paz, na cidade de Vargem Grande Paulista.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.