Descrição de chapéu
Maratona

Hollywood de 'Showbiz Kids' tem assédio, sofrimento e obsessão

Documentário sobre crianças artistas ouve estrelas dos títulos 'ET', 'Matilda' e 'Descendentes'

São Paulo

Showbiz Kids

  • Onde Disponível no HBO Go
  • Classificação 14 anos
  • Elenco Evan Rachel Wood, Milla Jovovich, Henry Thomas
  • Produção EUA, 2020
  • Direção Alex Winter
  • Duração 1h 34min

“Você gosta de fazer isso? Então por que está bocejando?”, pergunta a coach a um menino claramente disperso. Ele talvez esteja se lembrando da farra na piscina com os amigos, ou das aulas de caratê, não há como saber. Mas uma certeza é possível quando se vê Marc Slater na tela –a de que ele adoraria estar em qualquer canto que não ali.

Filho de um casal do estado americano da Flórida que se mudou para Los Angeles, o garoto sonha em se tornar ator —ou ao menos é nisso que a família toda acredita, o que justifica a troca de endereço e o uso das economias, como conta o pai. Os três fazem parte do documentário “Showbiz Kids”, da HBO, que conta a história de crianças em Hollywood.

Slater ainda não é parte da indústria do entretenimento. Como parte da campanha pela transição, os pais fazem de tudo, inclusive contratar a tal coach de atuação. Slater é a fatia anônima que faz contraponto à história de atores e atrizes adultos, famosos, que trabalham desde pequenos, assunto principal do documentário.

Slater está tentando. Acompanhado o tempo todo pela mãe, ele mostra sua rotina durante a “temporada de pilotos”, quando as redes de TV definem quais projetos seguirão em frente, e, para tanto, selecionam novos elencos.

Do lado dos que já passaram há tempos não só pela fase de testes, mas pela infância, estão Wil Wheaton, Milla Jovovich, Evan Rachel Wood, Henry Thomas, Todd Bridges e Mara Wilson. Talvez só pelo nome fique difícil lembrar quem são, mas estão aí no meio os grandes astros de “ET”, “Matilda” e “Conta Comigo”.

Este último, aliás, é um dos depoimentos mais impactantes do documentário. O grande clássico de 1986 foi também o maior marco da carreira de Wil Wheaton, que revela que, se pudesse escolher, teria desfrutado de uma infância diferente. Era sua mãe, no entanto, quem gerenciava sua carreira de pequeno astro, e ele teve de seguir ordens.

Entre elas estava participar de um terror trash chamado “A Maldição - Raízes do Terror”, e lançado só um ano depois de “Conta Comigo” estourar. O garoto, hoje um homem de 48 anos, lamenta esta que considera uma mancha no currículo e explica que grande parte dos deslizes se deve ao egoísmo materno.

Henry Thomas, que a humanidade conheceu aos 11, no papel de Elliot, o melhor amigo do extraterrestre mais famoso das galáxias, diz que, no que depender dele, seus filhos jamais seguirão a carreira artística. Tudo porque a infância passada nos sets de filmagem o marcou de maneira traumatizante, com episódios de bullying e bajulação extrema.

Já entre as mulheres retratadas em “Showbiz Kids”, não são raros os relatos de condutas duvidosas vindas de colegas de equipe. A russa Milla Jovovich, que virou modelo aos 12 e, aos 15, fez sucesso no filme “De Volta à Lagoa Azul”, reflete sobre uma adolescência quebrada, lotada de maquiagem, salto alto e sexualização.

Segundo ela, algo semelhante jamais passaria incólume na indústria atualmente. “Eu era uma Lolita”, diz. Evan Rachel Wood, que hoje estrela a série “Westworld”, também da HBO, mesmo egressa de uma família de artistas e feliz pela escolha profissional, também lembra muitos momentos de desrespeito e sofrimento.

A estrela de “Uma Babá Quase Perfeita” e “Matilda”, Mara Wilson, que estreou aos seis anos, repete no documentário parte do que conta no livro “Where Am I Now? True Stories of Girlhood and Accidental Fame”, algo como onde estou agora, histórias reais da infância e fama acidental, ainda não publicado no Brasil. Um spoiler –não são passagens divertidas.

Dirigido por Alex Winter, ele próprio também um astro mirim, mas que nesta produção fica só atrás das câmeras, “Showbiz Kids” tem ainda outro mérito –a participação luminosa do jovem Cameron Boyce, de sucessos como “Jessie” e “Descendentes”, ambas produções do Disney Channel.

Nem a escola improvisada em todos os camarins que ele ocupou durante a infância e a adolescência foi capaz de tomar dele a alegria de ser uma estrela. Em suas falas, aparecem a consciência de que aquilo consistia em um trabalho de verdade, pelo qual era preciso ter respeito. Ele queria ser um bom exemplo para as crianças.

Depois de uma convulsão durante o sono, Boyce morreu em julho do ano passado, aos 20 anos recém-completados. Ele era epilético e vinha tratando o problema. Os créditos de “Showbiz Kids” mostram que a produção é também em sua homenagem.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.