Pabllo Vittar, abandonada no altar em clipe, diz 'sou piranha, vou casar é nada'

Drag maranhense inaugura nova era com o vídeo de 'Ama, Sofre e Chora', primeiro single do quarto disco da cantora

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

No último mês, no show que fez no Big Brother Brasil, Pabllo Vittar disse que ia se casar. “Estou amiga, estou noiva”, ela respondeu a Preta Gil, que se apresentou com ela na ocasião, e retrucou “é segredo?”. “Agora não é mais. Estou noiva”, disse Vittar.

Apesar de ser notícia nos portais e de ter levado à loucura os fãs nas redes sociais, a declaração não era verdadeira. Pabllo Vittar não estava com o casamento marcado, mas sim divulgando seu novo clipe e single, “Ama, Sofre e Chora”.

"A estratégia girou toda em torno da noiva, da imagem do vestido branco, da garota intocada, virgem pela primeira vez. Recebi muitas mensagens de fãs felizes, desejando coisas boas porque eu iria casar", disse a cantora, rindo, em entrevista coletiva, feita de maneira virtual.

"Muitos fãs também disseram que estavam com ciúmes e tristes porque teriam que me dividir com outra pessoa. Mas quem me conhece mesmo sabe que eu sou piranha, vou casar é nada."

No vídeo, em vez das costumeiras coreografias, Vittar —que assina como codiretora o clipe— conta uma história. Ela aparece com lágrimas escorrendo pelo rosto, sendo abandonada no altar pelo noivo.

Capa do single “Ama, Sofre e Chora”, da cantora Pabllo Vittar
Capa do single 'Ama, Sofre e Chora', da cantora Pabllo Vittar - Divulgação/Ernna Cost

"Nesse clipe, quis me entregar na atuação. As inspirações vieram da nossa cabeça e das novelas. Focamos mais as novelas mexicanas. Como estou assistindo a 'Rubi', acho que eu encarnei um pouco isso."

"Ama, Sofre e Chora" é um forró romântico, com elementos de bachata, bem no estilo na cantora, que insere organicamente ritmos brasileiros em seu vasto universo pop. A faixa tem produção do Brabo Music Team, que está com Vittar desde o começo da carreira, e foi composta antes da pandemia.

"Tudo que mais amei do ano passado para cá foi essa exatalação do forró, dos ritmos do Norte e do Nordeste, que foi onde nasci e me criei. Fico muito feliz de ver outros artistas olhando para isso com carinho, chegando às paradas."

Na letra, a drag mais popular da música mundial lamenta ser vista como uma pessoa cujo amor "não é para casar". Esnobada, ela diz no refrão que "piranha também ama", chora e sofre.

"Na minha cabeça, 'piranha' nunca foi algo de pejorativo. Minha mãe sempre me chamou assim, sempre chamei minhas amigas assim. E nas minhas músicas eu sempre tentei fazer isso, tirar o estigma da palavra."

"Ama, Sofre e Chora" inaugura uma nova era na carreira da cantora maranhense. A música abre os caminhos para seu novo disco, o quarto de sua discografia, sucessor de "111", que saiu em duas partes, em 2019 e 2020. Ainda sem título revelado, o disco tem previsão de lançamento neste semestre.

Segundo ela, o álbum novo vem cheio de brasilidade. "Sempre digo que, para uma música ser internacional, ela não precisa ser cantada em inglês ou espanhol. Quando estou no palco em outros país, cantando em português e vendo as pessoas dançarem, dá vontade até de chorar. Parece que estou levando o Maranhão comigo para os palcos. Amo muito."

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.