Descrição de chapéu Clube da Leitura Folha

Clube de Leitura Folha debate 'Outros Cantos' de Maria Valéria Rezende

Freira missionária e feminista, autora participará da discussão em fevereiro sobre obra com contornos autobiográficos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O Clube de Leitura Folha de fevereiro discute o romance "Outros Cantos", da escritora Maria Valéria Rezende, publicado pela Alfaguara. O encontro acontece virtualmente no dia 22 de fevereiro, a partir das 19h.

A narrativa sobrepõe presente e passado para contar a história de Maria, uma mulher que faz uma travessia de ônibus à noite pelo sertão para chegar a um ponto isolado do Nordeste, o povoado de Olho d'Água –local "como tantos outros mínimos oásis espalhados pela vastidão das terras áridas", ela recorda. Lá daria uma palestra em um sindicato de agricultores.

Entre a descrição do percurso e de um e outro passageiro com quem divide viagem, Maria relembra a sua primeira incursão naquela região agreste, 40 anos antes. As condições à época eram mais precárias e perigosas, quando a narradora-protagonista, uma militante de esquerda, deixou São Paulo para seguir a convocação de alfabetizadores para o Mobral, o Movimento Brasileiro de Alfabetização, o programa de educação para adultos do governo militar. Seu objetivo era misturar-se, ser como "fermento na massa".

Maria Valéria Rezende durante a Festa Literária Internacional de Paraty
Maria Valéria Rezende durante a Festa Literária Internacional de Paraty - Bruno Santos - 29.jul.2017/Folhapress

E foi "logo aceita, sem mais perguntas, porque, de Brasília, pressionavam os chefetes políticos da região, e ninguém mais, capaz de enfileirar uma letra atrás da outra, estava disposto a se exilar em Olho d'Água e ensinar a ler e escrever aos jovens e adultos".

A obra de Maria Valéria Rezende faz pensar sobre autobiografia e autoficção na medida em que ganha contornos similares à vida da própria autora, que também dedicou a vida à educação popular. Se na ficção ela chega a citar viagens do México à Argélia, na vida real Maria Valéria atravessou continentes em programas de formação de educadores.

A travessia pelo sertão também ocorreu fora do romance, durante os anos 1970, quando a escritora, que é freira missionária nascida em Santos, em 1942, morou no sertão de Pernambuco, antes de se estabelecer na Paraíba. Vencedora do Prêmio Jabuti de 2015, por "Quarenta Dias" (Objetiva), com "Outros Cantos", ela levou o Prêmio São Paulo de Literatura de 2017.

Realizado virtualmente por causa da pandemia, o Clube de Leitura Folha existe desde agosto de 2017 e reúne, sempre às últimas terças-feiras do mês, pessoas que compartilham suas experiências de leitura de obras de ficção.

O evento, que é coordenado pela jornalista Vivian Masutti, terá neste mês a participação da autora do livro. O encontro acontece via Zoom e para participar basta acessar o link ou a reunião de número 889 2377 1003. "O Mundo se Despedaça", de Chinua Achebe e publicado pela Companhia das Letras, será o centro do debate de 29 de março.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.