Descrição de chapéu Opinião

Os dez mandamentos da transformação digital

O que podemos aprender com o festival South by Southwest 

Painel de debate durante o festival South by Southwest, em Austin
Painel de debate durante o festival South by Southwest, em Austin - Jack Plunkett - 13.mar.2018/Invision/AP
Marcelo Tripoli

Este é meu décimo ano no SXSW (South by Southwest), maior festival de tecnologia e criatividade do mundo, em Austin, Texas.

O evento é empolgante para quem se interessa por como as companhias estão se adaptando a um mundo altamente veloz e digital. Eis aqui dez coisas que aprendi no SXSW e ao longo de 20 anos trabalhando com esse tema: 

1) Preocupe-se mais com a capacidade de agir rápido do que com o planejamento de longo prazo. 

O mundo está mudando rápido demais. Sua companhia precisa responder continuamente. 

2) Não penalize o erro. 

É preciso criar uma cultura corporativa que estimule a curiosidade e o aprendizado contínuo. Isso envolve tomar riscos. 

3) Tenha um propósito, ou os jovens não virão. 

Para reter talentos, é preciso convencê-los de que eles estão participando de um projeto maior. Um case apresentado em Austin foi o de startup de espaços de trabalho compartilhados. 

Você não somente trabalha para eles. A cultura reforça o propósito: você luta contra ambientes de trabalho entediantes ou pouco inspiradores, você cria estruturas que incentivam a colaboração criativa, você ajuda as pessoas a conciliarem vida profissional e vida pessoal. Se a sua empresa não consegue ter uma narrativa assim, você vai perder os seus melhores talentos em breve. 

4) Crie um ambiente de diálogo, pertencimento e inclusão. 

"A verdade é hierárquica" pode ser uma boa piada, mas não um bom princípio em tempos de transformação acelerada. Um estudo apresentado no SXSW mostrou que 70% das pessoas que trabalham estão procurando emprego em outro lugar. Se as pessoas não sentirem que estão convidadas a participar do jogo, elas procurarão outro campo. 

5) Repita o mantra: experiência do cliente, experiência do cliente, experiência do cliente.  

Desenhe sua empresa de fora para dentro. O consumidor pode mudar a sua escolha com um clique. Os mercados se tornaram ultracompetitivos. Não dificulte a vida dele. 

6) Treine seus colaboradores para a empatia. 

Não se preocupe tanto com os canais. Loja física, aplicativo, TV, site, tanto faz. O que transformará a experiência do cliente com a sua marca é um contínuo exercício de empatia: os seus colaboradores precisam a todo momento se colocar no lugar de quem irá usar aquele produto ou serviço. É mais difícil do que parece, mas é fundamental. 

7) Seja obcecado pelo uso de dados.   

"Os dados são o novo petróleo", você já deve ter ouvido. A massa de dados gerada por uma sociedade cada vez mais digital é uma poderosa ferramenta de tomada de decisão, aumento de produtividade, redução de custos e melhoria contínua. 

8) Se você não está familiarizado com inteligência artificial e machine learning, é hora de aprender mais sobre esses assuntos. 

Eles ocuparam centenas de apresentações no SXSW. Utilize a capacidade de processamento das máquinas a seu favor.

9) Nunca diga que você é pequeno demais para o big data.  

Há tanto sistemas que custam milhões, desenvolvidos para grandes corporações, quanto ferramentas baratas que podem trazer inúmeros insights mesmo para um pequeno negócio. Quando antes você criar uma cultura de captar dados sobre o seu negócio, de criar métricas, e de tomar decisões baseadas nisso, mais sucesso você terá. 

10) Coloque em prática, um passo de cada vez.  

Você só aprenderá a navegar neste mundo acelerado e digital se tentar. A inércia não trará nada de bom. Esta é uma frase que escutei em uma palestra em Austin: disfunção é o abismo o conhecimento e a ação. Meu convite para você: comece a hoje a diminuir esse abismo.

Marcelo Tripoli é vice-presidente da área de digital da McKinsey Brasil

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.