Regulador global apresentará regras para criptomoedas até junho de 2019

Órgão quer eliminar uso de moedas digitais em lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo

Paris | Reuters

O órgão de fiscalização global das leis de lavagem de dinheiro disse nesta sexta-feira que estabelecerá até junho de 2019 as primeiras regras sobre como os países devem supervisionar as criptomoedas.

A Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF, na sigla em inglês), com sede em Paris, disse que as jurisdições em todo o mundo serão obrigadas a licenciar ou regular bolsas de valores e algumas empresas que fornecerem carteiras de criptomoeda, em uma tentativa de eliminar o uso de moedas digitais em lavagem de dinheiro, financiamento de terrorismo ou outros crimes.

As empresas que prestam serviços financeiros para emissão de novas criptomoedas –ofertas iniciais de moedas (ICO, na sigla em inglês)– também deverão estar sujeitas às regras, disse.

A medida do FATF representa um momento marcante para a regulação de criptomoedas algo que, até agora, desafiou a coordenação global e levou a uma série de abordagens diferentes de governos nacionais.

Os países que não estabelecerem as regras exigidas serão adicionados à lista negra do FATF, que restringe o acesso ao sistema financeiro global por jurisdições que não fazem o suficiente para evitar crimes financeiros, disse o presidente do órgão, Marshall Billingslea.

"Até junho, vamos emitir instruções adicionais sobre os padrões e como esperamos que eles sejam cumpridos", disse ele.

Criptomoedas são tokens digitais cujos criadores dizem que podem ser usados ​​como dinheiro sem o apoio do banco central de qualquer país. A primeira e mais popular é o bitcoin, que foi seguida por centenas de outras moedas virtuais lançadas em todo o mundo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.