Uber e Cabify suspendem serviço em Barcelona após novas restrições do governo local

Motoristas têm de esperar 15 minutos para pegar passageiros

Madri | Reuters

As companhias de transporte com motoristas por aplicativo Uber e a espanhola Cabify anunciaram nesta quinta-feira (31) a suspensão de seus serviços na cidade de Barcelona após o governo local anunciar restrições sobre a atividade das empresas do setor.

Entre as medidas tomadas pelo governo catalão está a regra que determina que as empresas de transporte por aplicativo somente poderão pegar os passageiros 15 minutos após o horário que eles fizeram o pedido do carro.

"As novas restrições aprovadas pelo governo catalão nos deixam sem escolha além de suspender o UberX enquanto avaliamos nosso futuro em Barcelona", afirmou um porta-voz da Uber.

"Estamos comprometidos em ser um parceiro de longo prazo para as cidades espanholas e esperamos trabalhar com o governo catalão e com a câmara da cidade sobre uma regulamentação justa para todos", acrescentou a companhia americana.

A Uber começou a oferecer o serviço UberX em março do ano passado. As novas regulamentações foram impostas após pressão dos motoristas de táxi da cidade, que promoveram protestos em Barcelona e continuam em greve em Madri.

Os taxistas em Madri ampliaram o protesto nesta semana ao bloquearem uma das principais artérias da cidade. As licenças para motoristas de aplicativos na Espanha são concedidas por autoridades locais e até agora o governo de Madri tem dito que não vai adotar as mesmas restrições decididas por Barcelona.

A Unauto VTC, uma associação de companhias de transporte na Espanha, afirmou que a decisão de Barcelona coloca em risco 3.000 empregos. A Uber não informou quantos motoristas trabalham para a empresa na cidade.

Motoristas de aplicativos organizam ato em resposta a paralisação de taxistas em Madri, na Espanha
Motoristas de aplicativos organizam ato em resposta a paralisação de taxistas em Madri, na Espanha - Susana Vera/Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.