Câmara cria nova CPI para investigar irregularidades no BNDES

Texto afirma que situação política impediu a abertura da 'caixa-preta' do banco estatal

Angela Boldrini
Brasília

A Câmara dos Deputados criou uma nova CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar irregularidades em contratos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) entre 2003 e 2015. 

O pedido de criação da CPI, feito por Vanderlei Macris (PSDB-SP), foi deferido pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no dia 21 de fevereiro. 

A comissão terá 120 dias para concluir os trabalhos. Ainda não há designação dos membros do colegiado, bem como de relator ou presidente. 

00
Logo do BNDES em prédio do banco no Rio de Janeiro - Reuters

“Dentre os inúmeros escândalos ligados às administrações petistas da União, governos Lula e Dilma, já objeto de diversos inquéritos e processos nas mais diversas instâncias, avulta a utilização do BNDES para financiar empresas e grupos empresariais, até mesmo em atividades desenvolvidas em países estrangeiros, em evidente utilização dos recursos como moeda de troca a justificar tanto barganhas políticas potencialmente ilícitas quanto virtuais episódios de enriquecimento pessoal”, diz o requerimento.

Segundo o texto, apesar de já terem sido feitas comissões para investigar o banco, “a situação política então vigente impediu que se abrisse a ‘caixa preta’ do BNDES e toda a utilização espúria da entidade”. 

Em 2015, uma CPI foi instalada para investigar as supostas irregularidades no banco durante o mesmo período. O colegiado foi encerrado em 2016 sem que houvesse pedidos de indiciamentos. 

A CPI é a segunda a ter a instalação determinada na Câmara nesta legislatura. A primeira investigará o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.