Porta-voz diz que Bolsonaro não vai antecipar números da reforma

Presidente conversou por telefone com o ministro da Economia

Talita Fernandes
Brasília

O porta-voz do governo, general Otávio Rêgo Barros, afirmou nesta quinta-feira (7) que o presidente Jair Bolsonaro não vai falar em números da reforma da Previdência antes de o texto ser levado ao Congresso.

"O presidente vai analisar todas as linhas de ação junto do ministro Paulo Guedes e as pessoas que estão em torno desse projeto para, após essa análise, definir exatamente quais são os parâmetros.

"Antecipar números, idade etc, não estão no escantilhão do presidente para este momento", disse em entrevista no hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro se recupera de uma cirurgia. A resposta foi dada a uma pergunta sobre a possibilidade de ser adotada idade mínima de 65 anos para homens, e de 60 para mulheres.

0
O porta-voz Otávio Rêgo Barros, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado Bolsonaro - Marlene Bergamo - 31.jan.19/Folhapress

"[O presidente] não confirma", respondeu Rêgo Barros. O porta-voz informou ainda que Bolsonaro conversou por telefone com o ministro Paulo Guedes (Economia) na tarde desta quinta-feira.

Sem dar detalhes sobre os temas tratados, ele disse que a Previdência poderia ser um dos assuntos da conversa.

O governo trabalha na conclusão de uma proposta para alterar as regras da aposentadoria, medida considerada prioritária para o ajuste das contas públicas e uma das prioridades desta gestão.

O vazamento de uma minuta com idade mínima igual para homens e mulheres em 65 anos, irritou integrantes do Palácio do Planalto.

Inicialmente, o Executivo pretendia entregar um projeto para a reforma na segunda semana de fevereiro, mas o estado de saúde do presidente, que exigirá mais tempo de internação e recuperação, deve postergar essa estimativa. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.