Ações da Bayer desabam após novo júri relacionar Roundup a câncer

Empresa nega que herbicida a base de glifosato cause a doença

Frankfurt | Reuters

As ações da Bayer fecharam em queda de 9,33% nesta quarta-feira (20) após um segundo júri nos Estados Unidos decidir que seu herbicida Roundup causa câncer.

A decisão unânime do júri na terça-feira (19), no tribunal federal de São Francisco, não responsabilizou a Bayer pelo câncer do autor da ação, Edwin Hardeman. Responsabilidade e danos serão decididos pelo mesmo júri em uma segunda fase de julgamento a partir desta quarta-feira (20).

A Bayer, que nega as alegações de que o glifosato ou o Roundup causam câncer, disse que ficou desapontada com a decisão inicial do júri.

Logo da Bayer em sede em Berlim
Ações da Bayer caíam mais de 12% nesta quarta-feira após um segundo júri nos Estados Unidos - AFP

A Bayer adquiriu a Monsanto, a fabricante de longa data do Roundup, por US$ 63 bilhões no ano passado.

O glifosato é o herbicida mais usado no mundo. O Roundup da Monsanto foi o primeiro herbicida à base de glifosato, mas não é mais protegido por patente e muitas outras versões já estão disponíveis.

A Bayer não fornece números de vendas para o produto.

“Estamos confiantes de que a evidência na segunda fase mostrará que a conduta da Monsanto foi apropriada e que a empresa não deve ser responsabilizada pelo câncer de Hardeman”, disse a empresa.

O caso foi apenas o segundo dos cerca de 11.200 processos envolvendo o Roundup a ir a julgamento nos Estados Unidos.

Outro homem da Califórnia recebeu US$ 289 milhões em agosto, depois que um tribunal estadual decidiu que o Roundup causou seu câncer. Esse valor foi posteriormente reduzido para US$ 78 milhões e está em fase de recurso.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.