Descrição de chapéu Previdência Governo Bolsonaro

Presidente de comissão diz que tem antipatia pelo governo, mas responsabilidade com reforma

Para Marcelo Ramos (PR-AM), intenção é terminar a votação a tempo de proposta ser analisada em plenário até julho

Angela Boldrini Thiago Resende
Brasília

O presidente da comissão especial da Previdência, Marcelo Ramos (PR-AM), afirmou que tem antipatia pelo governo Bolsonaro, mas responsabilidade com a reforma.

"A minha antipatia pelo governo é menor do que a minha responsabilidade com a reforma. Não vou deixar milhões de brasileiros em necessidade. Todos sabem que eu não tenho simpatia por esse governo. Basta ver meu posicionamento", afirmou após a instalação da comissão.

Deputado Marcelo Ramos (PR-AM) diz que antipatia pelo governo não será maior do que sua responsabilidade com a reforma da Previdência. - Adriano Machado/Reuters

Nesta fase, a proposta será analisada quanto ao mérito. A principal preocupação de defensores do projeto é de tentar evitar que ela seja muito desidratada.

O governo quer uma redução de pelo menos R$ 1 trilhão em uma década com a reforma.

Partidos já avisam que vão retirar do texto as mudanças na aposentadoria rural e no benefício pago a idosos miseráveis. Mas há muitas outras demandas, como por exemplo a retirada da capitalização, da desconstitucionalização, e do regime para os estados.

Ramos afirmou que a intenção é terminar a votação a tempo de a proposta ser analisada em plenário antes do final do semestre legislativo, no meio de julho.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.