Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Mobilizar STF para vender subsidiárias mostra preferência pela pobreza, diz Guedes

Comentário foi feito enquanto o Supremo fazia sessão para decidir sobre o assunto

Danielle Brant
Brasília

O ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou que mobilizar o STF (Supremo Tribunal Federal) para permitir que estatais vendam suas subsidiárias é um exemplo das leis inadequadas do Brasil e do que o economista tachou de preferência do país pelo empobrecimento.

As declarações foram feitas durante transmissão ao vivo em redes sociais do presidente Jair Bolsonaro realizada a partir de Buenos Aires. Também participaram os ministros Tereza Cristina (Agricultura) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

O comentário de Guedes foi feito enquanto o STF ainda decidia se liberava ou não a venda de subsidiárias de estatais sem aval do Congresso –o governo acabou ganhando a queda de braço e vai poder vender as subsidiárias sem lei específica e sem precisar fazer uma licitação.

“As leis no Brasil, às vezes, destroem recursos. Falamos disso aqui na Argentina. Por que um país tão rico em recursos naturais e que foi a sexta maior economia do mundo é hoje um país empobrecido?”, disse o ministro. “Quando nós vamos ver, são leis inadequadas.”

Ele citou especificamente o caso da Petrobras. Duas semanas atrás, o ministro Edson Fachin suspendeu, em decisão liminar, a venda da TAG (Transportadora Associada de Gás) pela petrolífera. Fachin acabou liberando a venda na noite desta quinta. O negócio, fechado em abril, envolve cerca de R$ 33,1 bilhões.

“Agora mesmo, para a Petrobras poder vender uma subsidiária, mobiliza a Suprema Corte, trava tudo, interrompe uma venda no meio. É uma preferência pelo empobrecimento”, criticou.

Ele defendeu que o Brasil cresça explorando economicamente e preservando seus recursos naturais. “Economicamente, é possível fazer isso. Mas nós, que somos possivelmente a segunda maior economia do mundo em recursos naturais, acabamos empobrecidos porque somos a centésima trigésima como ambiente de negócios”, criticou. “Nós temos uma preferência pela pobreza, temos uma hostilidade aos empregos, aos investimentos e a melhorar a qualidade de vida do povo brasileiro.”

Guedes falou ainda sobre a parceria comercial com a Argentina e disse que os países estão entre as maiores potencias agrícolas e energéticas do mundo, e que deveriam ter uma integração maior energética e das fronteiras agrícolas. "O Mercosul virou uma trava no crescimento e ameaçou a nossa democracia, como aconteceu com a Venezuela", afirmou. 

Segundo ele, a aproximação econômica é para "botar o Mercosul para rodar". 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.