Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Guedes diz que Brasil sai da clínica de reabilitação enquanto mundo desacelera

Segundo o ministro, trata-se de um crescimento em bases sustentáveis e não um' voo de galinha'

Eduardo Cucolo Ivan Martínez-Vargas
São Paulo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira (10) que, enquanto a economia mundial está desacelerando, o Brasil entra, provavelmente, em um longo ciclo de crescimento.

“Estamos com o crescimento subindo, a inflação descendo e retomando provavelmente agora um longo ciclo de crescimento. Num momento em que o mundo sincronizadamente desacelera, entrando em uma clínica de reabilitação após um período de excessos, o Brasil está saindo da clínica de reabilitação”, afirmou o ministro durante a abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2019.

Para ministro da Economia, economia mundial desacelera, enquanto Brasil entra em provável crescimento
Para ministro da Economia, economia mundial desacelera, enquanto Brasil entra em provável crescimento - Claudia Martini - 07.set.2019/Folhapress

Segundo o ministro, trata-se de um crescimento em bases sustentáveis e não um “voo de galinha”.

Guedes afirmou também que o governo já atingiu a meta de privatizações, de US$ 20 bilhões, para este ano.

A uma plateia de investidores brasileiros e de outros países, disse que o governo federal tem o apoio do Congresso para fazer suas reformas, mas um apoio em nova bases, bases temáticas.

Ele destacou como próximos passos as votações do pacto federativo e a reforma tributária.

Segundo Guedes, depois de quatro décadas de economia fechada, impostos elevados, o presidente Jair Bolsonaro "começou a revolução em relação ao que há de melhor no mundo ocidental."

Ele diz que "o presidente determinou desde o início uma aproximação com países que dão certo no mundo" como EUA, Canadá, Japão e Coreia do Sul.

Não tem plano B, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro fez nesta quinta um gesto para prestigiar o seu ministro da Economia, durante discurso a uma plateia de investidores do Brasil e do exterior.

“Paulo Guedes é mais do que um ministro da Economia, ele acumulou quatro ministérios”, afirmou.

Disse depois que queria elogiar a capa do jornal O Estado de S. Paulo do último domingo, que trazia uma entrevista com o próprio Bolsonaro elogiando Guedes.

“A economia é 100% com o Guedes e não tem plano B”, afirmou o presidente lendo o jornal no palco em que também estava presente do ministro da Economia e sendo aplaudido.

“As críticas que sofri no passado como estatizante, em parte com razão, nossa formação militar não leva para essa linha? Mas ao conhecer o economista Paulo Guedes, ele rapidamente me convenceu.”

Bolsonaro também fez uma brincadeira em relação ao Banco Central, após dizer que a instituição já tem “autonomia integral”.

“Eu só ligo para o presidente do Banco Central depois que ele decide o Copom [comitê que define a taxa básica de juros]. É o Roberto Campos que fala 100% pelo Banco Central. Não sei se o Paulo Guedes interfere, mas eu não interfiro em absolutamente nada”, afirmou o presidente, provocando risos na plateia.

O presidente também falou sobre a agenda de compromissos internacionais na próxima semana, ao afirmar que irá priorizar esses encontros e não irá à cerimônia de canonização da Irmã Dulce.

“Espero que a imprensa não me critique porque não estarei domingo no Barradão, de Salvador, numa grande festa dos católicos, eu sou católico, sobre a canonização da Irmã Dulce, mas temos contínuos compromissos. Primeiro a entronização do rei do Japão. Depois pela Arábia Saudita, Qatar, Emirados Árabes e a nossa China, o nosso maior parceiro comercial.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.