Federação de petroleiros decide suspender mobilização contra a Petrobras

Tribunal Superior do Trabalho concedeu liminar contra a greve e determinou o bloqueio das contas dos sindicatos

Rio de Janeiro | Reuters

A FUP (Federação Única dos Petroleiros) informou nesta quarta-feira (27) que decidiu suspender a mobilização de petroleiros da Petrobras iniciada na segunda-feira (25) com previsão de durar cinco dias, informou a entidade em nota, ao afirmar que o efeito do movimento foi positivo.

Segundo nota da FUP, "o movimento conseguiu chamar a atenção da sociedade para a política de demissões e transferências em massa, de venda de ativos e de reajustes constantes da gasolina e do óleo diesel promovida pela atual gestão da empresa", além de garantir a produção de petróleo e o abastecimento de combustíveis para a população.

Os petroleiros haviam decido manter a mobilização, mesmo após um ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho) ter impedido uma greve.

Na segunda-feira, o ministro Ives Gandra Martins, do TST, suspendeu repasses aos sindicatos pelo descumprimento da liminar que impedia o movimento grevista. Também determinou o bloqueio cautelar das contas das entidades sindicais no limite de 2 milhões de reais a cada dia de prosseguimento do movimento dos trabalhadores.

A paralisação de cinco dias foi anunciada pela FUP na sexta-feira (22), três semanas após a assinatura de acordo coletivo de trabalho com a Petrobras. 

​A FUP acusa a estatal de descumprir cláusulas do acordo ao propor os programas de demissão incentivada e de transferência sem negociação prévia com os sindicatos. Alega ainda que o uso de indicadores de segurança como critério para pagamento de bônus também fere o acordo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.