Doria diz que portos de Santos e São Sebastião serão privatizados em 2020, mas Ministério da Infraestrutura nega

Plano do governo federal é manter venda para 2021

São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta quarta-feira (8) que os portos de Santos e São Sebastião devem ser privatizados em 2020, mas o Ministério da Infraestrutura nega. 

“Nossa estimativa é a de que o governo federal, através do ministro Tarcísio Gomes de Freitas [Infraestrutura], possa realizar as privatizações dos dois portos em 2020. Essa é, aliás, a intenção que ele nos antecipou", disse Doria a jornalistas durante o leilão de rodovias Piraricaba-Panorama.

À Folha, porém, a assessoria de imprensa do Ministério da Infraestrutura afirmou que os cronogramas de desestatização dos dois portos não foram alterados. As privatizações seguem previstas para 2021 e não há como fazer as concessões antes desse prazo.

Procurado para comentar a posição do ministério, o governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Transportes e Logística, afirmou em nota que tem tratado deste tema com a pasta e que "da parte que cabe ao governo estadual as privatizações podem ser apresentadas ainda este ano."

O governador Doria afirmou ainda que o projeto do trem intercidades, que deverá ligar São Paulo à região metropolitana de Campinas e ao Vale do Paraíba, será apresentado neste semestre.

A modelagem da concessão de 21 aeroportos estaduais também deverá ser apresentada até junho e será feita em mais de um lote, de acordo com Doria. 

“Para isso, ativamos esses aeroportos. Hoje 14 desses aeroportos têm voos regulares da Azul, da Passaredo, da Latam e da Gol, fruto da redução do imposto sobre o querosene de 15% para 12%. Temos 706 voos regulares semanais para São Paulo”, disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.