Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Tarcísio, ministro da Infraestrutura, vira queridinho de Jair Bolsonaro

Com dificuldades no Congresso, presidente aposta em concessões para mostrar que governo avança

Talita Fernandes
Brasília

Engenheiro formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e considerado um dos ministros que mais se encaixam no perfil técnico que Jair Bolsonaro prometeu adotar na composição do primeiro escalão de seu governo, Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) tornou-se o xodó do presidente na Esplanada.

Ele aparece em 11 postagens do presidente no Twitter, e em 10 delas Bolsonaro menciona as ações da pasta. É o mais citado dos ministros. 

Tarcísio foi ainda o único ministro lembrado espontaneamente pelo presidente nas três das transmissões ao vivo que passou a fazer semanalmente para a prestação de contas de seu governo. 

Na mais recente delas, realizada na noite de quinta (21), no Chile, ele parabenizou o chefe da Infraestrutura por estar fazendo “um bom trabalho”.

Tarcísio é citado em tom elogioso com frequência em entrevistas e discursos e foi mencionado recentemente em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto. 

O engenheiro foi ainda um dos poucos a visitar o presidente no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde Bolsonaro ficou internado por 17 dias com visitas restritas em decorrência de uma cirurgia. 

O prestígio de Tarcísio com Bolsonaro tem entre os motivos a afinidade de ambos serem formados na Aman (Academia de Agulhas Negras), do Exército, passando pela discrição do auxiliar e pelo volume de ações apresentadas. 

Ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas
Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas - Evaristo Sá/AFP

Hoje, o engenheiro é consultor legislativo da Câmara dos Deputados. Técnico, foi secretário de Coordenação de Projetos na Secretaria Especial do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), órgão responsável por viabilizar as concessões. 

“Já colocamos para concessão 12 aeroportos e 4 terminais portuários. Na próxima quinta (28), será a vez da ferrovia Norte-Sul, e, em 5 de abril, mais seis terminais portuários. E também estamos perto de lançar editais para terminais no porto de Santos e em Paranaguá”, escreveu o ministro no Twitter na sexta (24).

Se por um lado o resultado do trabalho tem em parte mérito do ministro, por outro ele contou com facilidades como o fato de ter recebido da gestão do ex-presidente Michel Temer um pacote de projetos.
Além disso, as iniciativas comandadas por Tarcísio não enfrentam as dificuldades de outros ministros, cujas ações  dependem de projetos de lei que tramitam no Congresso. 

A três semanas de completar cem dias de governo, Bolsonaro ainda tem como uma de suas principais dificuldades pacificar a relação entre os poderes Executivo e Legislativo e consolidar uma base governista para garantir a aprovação de propostas. 

Em meio a esse impasse, vê o projeto considerado crucial para o sucesso de sua gestão, a reforma da Previdência, ameaçado. 

As medidas que estão sendo tocadas por Tarcísio ainda ajudarão o governo a ampliar o caixa da União em 2019, quando há uma previsão de déficit de R$ 139 bilhões.

Em 15 de março, a concessão de 12 aeroportos foi responsável por arrecadar R$ 2,377 bilhões para o governo federal. Nessa área, ele anunciou ainda a 6ª rodada de concessões de aeroportos com 22 terminais.

O ministro pretende levar Bolsonaro para a inauguração de algumas obras, como o aeroporto de Vitória da Conquista, na Bahia. Até agora, o presidente não viajou pelo país para visitar ações e obras, apenas para prestigiar evento de militares.

No setor de rodovias, o governo destacou em diversas publicações a liberação de um trecho na rodovia BR-163, no Pará, onde Tarcísio esteve.

Tarcisio de Freitas foi recebido em fevereiro por Jair Bolsonaro, durante o período que o presidente esteve internado no hospital Albert Einstein
Tarcísio de Freitas foi recebido em fevereiro por Jair Bolsonaro, durante o período que o presidente esteve internado no hospital Albert Einstein - Reuters

“Com o trabalho das Forças Armadas e a liberação da BR-163 aos caminhoneiros, o ministro Tarcísio concluiu sua ida ao Pará, após vistoriar os trabalhos no trecho não pavimentado, disse. “Essa rodovia foi aberta pelo general Geisel e será concluída pelo capitão Jair Bolsonaro”, escreveu o presidente no Twitter em 9 de março. O ministro não quis dar entrevista.

As ações do Ministério da Infraestrutura foram usadas ainda em postagens do presidente e de seu filho Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) em momentos difíceis para o governo.

Carlos fez duas publicações em 19 de fevereiro, um dia após a exoneração de Gustavo Bebianno como ministro da Secretaria-Geral, após crise deflagrada com escândalo das candidaturas de laranjas do PSL, revelado pela Folha

Já Bolsonaro recorreu a uma obra no Espírito Santo para acalmar os ânimos nas redes sociais na Quarta-Feira de Cinzas, após a sequência de postagens no Carnaval e a polêmica a publicação com a pergunta “O que é golden shower?”.

Na lista de medidas que serão entregues até 11 de abril, quando a gestão completará cem dias, a Infraestrutura é destaque. Em fevereiro, o próprio ministro escreveu no Twitter que realizaria 23 leilões de concessão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.