Desaceleração na economia aprofunda queda na venda de etanol nas usinas

Além da queda da demanda, retrações no petróleo e o recuo nos preços do açúcar devem segurar faturamento do setor

Ribeirão Preto

A desaceleração na economia causada pelas medidas de isolamento social adotada nos estados devido à pandemia do novo coronavírus fez despencar a comercialização de etanol nas usinas na primeira quinzena de abril.

Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (29) pela Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), que reúne unidades produtoras de açúcar e etanol no centro-sul do país, as vendas de etanol hidratado foram de 560,48 milhões de litros, queda de 35,77% em relação ao mesmo período da safra anterior.

O levantamento mostra também que a redução na comercialização foi acentuada em relação à segunda quinzena de março, que teve queda de 20,81% nas vendas do etanol hidratado –utilizado diretamente pelos carros flex-- em relação a igual período de 2019.

Vendas de etanol hidratado, o utilizado pelos carros flex, foram de 560,48 milhões de litros na primeira quinzena de abril, queda de 35,77% ante 2019 - Silva Junior-19.nov.10/Folhapress

Além da queda da demanda, a Unica aponta as retrações nas cotações do petróleo e o recuo nos preços do açúcar como motivos de impacto no faturamento do setor. A receita com etanol caiu aproximadamente 50% em relação ao mesmo período do ano passado, diz a entidade.

“O anúncio de medidas emergenciais é absolutamente urgente e necessário para reduzirmos o risco de colapso das atividades do setor”, afirmou Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

De acordo com ele, estão em jogo a manutenção de toda a cadeia produtiva e os empregos no setor.

Enquanto a venda de etanol caiu, a moagem de cana-de-açúcar cresceu e teve na primeira quinzena de abril o segundo melhor período da série histórica, atrás somente da safra 2016/17.

Foram moídas 22,38 milhões de toneladas de cana pelas 178 usinas que iniciaram as atividades no centro-sul brasileiro, ante as 157 que estavam em operação no mesmo período da safra passada. Em 2019, foram 13,9 milhões de toneladas moídas no período.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.