Japão e EUA buscam acordo para destravar cadeia de fabricação de chips

Países irão cooperar no fornecimento de peças essenciais

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Sakura Murakami Yoshifumi Takemoto David Dolan
Tóquio | Reuters

Japão e Estados Unidos vão cooperar no fornecimento de peças essenciais para fabricação de chips, visando um acordo quando os líderes dos dois países se reunirem no fim deste mês, noticiou o jornal Nikkei nesta sexta-feira (2).

O primeiro-ministro Yoshihide Suga deve se tornar o primeiro líder estrangeiro a visitar os Estados Unidos desde que o presidente Joe Biden assumiu o cargo. A reunião, originalmente marcada para 9 de abril, foi adiada para 16 de abril, disse o secretário-chefe do gabinete japonês.

A visita ocorre num momento em que a escassez global de semicondutores pressiona montadoras norte-americanas e outros fabricantes, forçando-os a cortar a produção. A questão se tornou importante para formuladores de política econômica e externa, que se preocupam com os riscos econômicos e de segurança decorrentes da escassez.

O primeiro-ministro do Japão Yoshihide Suga deve se tornar o primeiro líder estrangeiro a visitar os Estados Unidos desde a posse de Joe Biden - David Mareuil - 2-fev.2021/Reuters

Autoridades de Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão devem discutir preocupações sobre a escassez em uma reunião nesta sexta-feira, disse um importante funcionário do governo dos EUA.

"Seria justo dizer que nossos três países detêm muitas das chaves para o futuro da tecnologia de fabricação de semicondutores e buscaremos afirmar a importância de manter seguras essas sensíveis cadeias de abastecimento", disse o funcionário a repórteres.

Suga deve deixar o Japão em 15 de abril e partir de Washington em 17 de abril, disseram duas fontes do governo à Reuters.

O encontro com Biden foi adiado por causa das circunstâncias do lado norte-americano, disse o Nikkei.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.