Faturamento das franquias deve aumentar 11% em 2019, diz associação

Segundo André Friedheim, presidente da ABF, redução de burocracia deve ajudar empreendedor

Homem de terno, em pé, apoiado em mesa, com fundo escuro
André Friedheim, presidente da ABF (Associação Brasileira de Franchising) - Keiny Andrade/Divulgação
 
Ana Luiza Tieghi
São Paulo

O setor de franquias começou 2019 confiante. Segundo André Friedheim, presidente da ABF (Associação Brasileira de Franchising), a retomada da confiança do consumidor e dos empresários vai resultar em mais pedidos de franquia. 

A expectativa da associação é fechar o ano com aumento de 11% no faturamento do segmento, que tem hoje cerca de 2.800 redes no país, segundo projeção do fim do ano passado.

 

Como o setor deve se sair neste ano? A franquia tem um nível de risco menor, se comparada a negócios independentes. Houve um crescimento no número de candidatos a franquia no final do ano passado, e deve continuar forte agora. Voltou a confiança do consumidor e do empreendedor, que está investindo e querendo montar negócio de novo. Pretendemos aumentar o faturamento do setor em 11%.

Quais medidas do governo ajudariam as franquias? Temos que quebrar a burocracia. O governo já fala em impostos mais simples, isso ajuda. Hoje o pequeno empresário que monta uma franquia tem que ter contador, porque é uma loucura a quantidade de alíquotas e obrigações fiscais. 

A burocracia também atrasa a abertura de empresas e o registro da marca de novas franqueadoras no Inpi (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

Quais áreas vão se destacar entre as franquias em 2019? A área de saúde, estética e beleza está crescendo, porque as pessoas estão mudando seus hábitos de consumo e se preocupando mais com isso. 

Na parte de comida, a alimentação natural vai crescer, assim como a parte de delivery. Os franqueadores estão adaptando suas estruturas para o modelo de entrega e as franquias estão muito bem posicionadas nesse mercado, porque têm muitas unidades, estão mais perto do consumidor, então conseguem ter uma logística mais barata. Outro destaque é o setor de educação e treinamento.

Qual ensinamento o ano de 2018 deixou para os pequenos empreendedores? Que a logística é muito importante para o processo de qualquer empresa. As pessoas agora estão colocando recursos nisso e desenvolvendo tecnologias para gestão de estoque, que antes era algo para o qual não se dava importância. Vimos que, se faltar produto durante uma semana, isso pode acabar com o resultado anual de uma empresa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.