Descrição de chapéu Rússia Theresa May

Acusação é ridícula no caso do ex-espião, mas estou aberto para conversar, diz Putin

Em primeira fala após eleição, presidente reeleito também nega que vá ficar no poder depois de 2024

Igor Gielow
Moscou e São Paulo

Em seu primeiro comentário sobre o caso do ex-agente duplo russo envenenado em uma cidade inglesa, o presidente Vladimir Putin diz que as acusações contra o Kremlin feitas pelo Reino Unido são “ridículas”, mas que está pronto para cooperar com Londres sobre o episódio.

“Eu fiquei sabendo pela imprensa. Estamos a abertos para trabalhar juntos [sobre o caso], mas é um absurdo pensar que a Rússia faria algo assim, ainda mais antes de uma eleição presidencial e de uma Copa do Mundo”, respondeu Putin em uma entrevista coletiva no seu quartel-general de campanha, duas horas e meia após o fim do pleito no qual foi reeleito para um quarto mandato no Kremlin.

O envenenamento de Serguei Skripal e de sua filha, Iulia, ocorreu em 4 de março. A polícia britânica diz que eles foram atingidos por um agente neurotóxico produzido na antiga União Soviética, o que levou o governo conservador da primeira-ministra Theresa May a anunciar na quarta (14) a expulsão 23 diplomatas russos acusados de espionagem e o congelamento de relações diplomáticas de alto nível, entre outras medidas.

O Reino Unido acusa diretamente a Rússia pelo ataque, e o chanceler Boris Johnson chegou a dizer que ele teria sido uma ordem pessoal de Putin. A Rússia reagiu com medidas proporcionais, expulsando o mesmo número de diplomatas britânicos no sábado (17).

Na entrevista, Putin também fez comentários sobre política interna. Perguntado se aceitaria concorrer na eleição de 2030, quando terá 78 se estiver vivo, Putin arrancou risada dos presentes. “O que você está falando é ridículo. Você espera que eu fique aqui até quando tiver cem anos?”, brincou.

A sério, disse que não está considerando nenhuma reforma constitucional, como alguns apoiadores sugeriram nos últimos dias para tentar mantê-lo no poder. Também afirmou que só irá pensar na formação de seu gabinete, primeiro-ministro à frente, a partir de agora.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.