Coral da Capela Sistina é investigado por fraudes financeiras, afirma Vaticano

Alvos de investigação são gerente e diretor da instituição

Sem-teto visitam a Capela Sistina, no Vaticano - Osservatore Romano - 26.mar.15/AFP
Vaticano | Reuters

O papa Francisco autorizou uma investigação sobre possíveis irregularidades financeiras cometidas pelo coral da Capela Sistina, afirmou o Vaticano nesta quarta-feira (13).

São investigados o gerente do coral, que é leigo, e seu diretor, que é um padre, por suspeitas de desvio de dinheiro, lavagem de dinheiro e fraude.

Segundo nota do Vaticano, a investigação foi autorizada há alguns meses. O jornal La Stampa informou sobre o procedimento na quarta. 

Um tour do coral pelos EUA foi cancelada em julho sem explicações oficiais.

Fundado em 1471, o coral da Capela Sistina é tido como o mais antigo do mundo, com raízes no Schola Cantorum criado pelo papa Gregório por volta do ano 600. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.