Descrição de chapéu Venezuela

Banco estatal russo congela contas de petroleira da Venezuela

Empresa estava recebendo pagamentos na Rússia para escapar de sanções impostas pelos EUA

Agência do Gazprombank em Moscou, na Rússia - Maxim Zmeyev - 23.jan.2015/Reuters
Moscou

O banco russo Gazprombank decidiu congelar contas da petroleira venezuelana PDVSA e suspender transações com a companhia para reduzir o risco de que a instituição financeira seja alvo de sanções pelos Estados Unidos, disse uma fonte do banco à Reuters no domingo (17).

Embora muitas empresas estrangeiras estejam cortando sua exposição à PDVSA desde que os EUA impuseram sanções, o fato de que um banco fortemente alinhado com o governo russo esteja fazendo o mesmo é significativo, uma vez que o Kremlin tem sido um dos mais firmes apoiadores do ditador venezuelano Nicolas Maduro.

"As contas da PDVSA estão atualmente congeladas. Como você verá, as operações não podem ser realizadas", disse a fonte.

O Gazprombank não respondeu a um pedido da agência Reuters para comentários.

A Reuters publicou neste mês que a PDVSA tem dito a clientes para que depositem os pagamentos de vendas de petróleo em contas no Gazprombank, segundo fontes e um documento interno, em um movimento que buscava evitar as novas sanções dos EUA à petroleira.

Washington disse que as sanções, impostas em 28 de janeiro, visam bloquear o acesso de Maduro às receitas do país com petróleo após o líder da oposição Juan Guaidó ter se declarado presidente interino e recebido amplo apoio no Ocidente.

O Gazprombank é o terceiro maior da Rússia em ativos e tem entre seus acionistas a empresa estatal de gás russa Gazprom.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.