Igreja Católica no Texas divulga nomes de 300 padres acusados de abuso

Lista inclui casos dos últimos 70 anos; maior parte dos suspeitos já morreu

Novo México (EUA) | Reuters

Líderes da Igreja Católica no estado americano do Texas identificaram cerca de 300 padres e religiosos acusados de abusarem de crianças durante os últimos 70 anos.

Os nomes dos suspeitos foram divulgados online nesta sexta-feira (1º) pelas 15 dioceses do estado.

O cardeal Daniel DiNardo, da arquidiocese de Galveston-Houston, durante encontro no Vaticano com o papa Francisco para debater os casos de abuso nos EUA
O cardeal Daniel DiNardo, da arquidiocese de Galveston-Houston, durante encontro no Vaticano com o papa Francisco para debater os casos de abuso nos EUA - 13.set.18/Vatican Media/AFP

A decisão das autoridades católicas de revelar a identidade dos suspeitos sem uma decisão judicial não é comum —essa é uma das maiores listas já publicadas pela igreja nos EUA.

Algumas das 15 dioceses do Texas listaram padres acusados ​​de abuso desde a década de 1940, mas outras só citam nomes a partir de 2000.

A igreja não explicou se a divulgação de nomes vai resultar em acusações criminais contra os religiosos e a maior parte dos padres identificados já morreu.   

A decisão acontece cinco meses após a Justiça da Pensilvânia ter divulgado um relatório que nomeava mais 300 religiosos católicos acusados de participarem de abusos de crianças ou de ajudarem no acobertamento dos casos, em um dos maiores escândalos da história da igreja no país. 

O caso da Pensilvânia levou vários estados e o governo federal a iniciarem suas próprias investigações sobre os abusos cometidos por padres e diversas dioceses já tinham divulgado a lista de suspeitos sob sua responsabilidade. 

"Os bispos do Texas decidiram divulgar os nomes desses padres nesse momento porque é a coisa certa e justa a ser feita e para oferecer cura e esperança para as vítimas", disse o cardeal Daniel DiNardo, responsável pela arquidiocese de Galveston-Houston e presidente da USCCB (Conferência dos Bispos Católicos dos EUA, equivalente a CNBB no Brasil). 

Os escritórios da própria arquidiocese de Galveston-Houston foram alvos de uma operação de busca em novembro, em um caso que investiga um padre que foi acusado em setembro de abuso sexual.  

Segundo a USCCB, cerca de 30% da população do Texas se identifica como católica, o equivalente a 8,5 milhões de pessoas. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.