Pais que torturaram filhos são condenados à prisão perpétua nos EUA

Doze de treze filhos do casal sofreram espancamentos e eram privados de comida e banhos

Riverside (EUA) | AFP

Um tribunal da Califórnia, nos EUA, condenou nesta sexta-feira (19) à prisão perpétua o casal que manteve seus filhos presos dentro de casa e torturou-os durante anos. 

O juiz Bernard J. Schwartz declarou a sentença de David Turpin, 57, e Louise Turpin, 50, durante uma audiência na qual estavam presentes dois de seus filhos biológicos, vítimas de abusos e maus-tratos, que leram depoimentos emocionados.

Louise (1ª à esq.) e David Turpin (2º à dir.), durante audiência judicial em Riverside, Califórnia - Will Lester/AFP

"Meus pais tiraram minha vida, mas a estou recuperando", disse uma das filhas, identificada apenas como Jane Doe 4. "Tudo acontece por uma razão, e o que pode ter sido muito ruim me fez mais forte."

"Não posso descrever em palavras o que passamos enquanto crescíamos", disse outro filho, identificado como Joshua. "Às vezes tenho pesadelos com as coisas que nos aconteceram, meus irmãos sendo acorrentados, mas isso ficou no passado e este é o presente."

"Amo meus pais e os perdoo por tudo que nos fizeram", acrescentou. 

O casal foi preso em janeiro de 2018 depois que uma das filhas, com 17 anos, conseguiu fugir da "casa do horror", em Perris, ao sudeste de Los Angeles, e chamar a polícia. 

Os pais foram acusados de tortura, confinamento e abuso infantil de 12 de seus 13 filhos, a quem espancavam e estrangulavam, além de mantê-los desnutridos, de permitir que tomassem apenas um banho por ano e de nunca levá-los a um médico ou dentista. 

"Sinto muito por tudo que fiz com meus filhos", afirmou Louise.

"Nunca quis machucá-los. Rezo para que se mantenham unidos e que cuidem um dos outros, já que mamãe e papai não poderão", afirmou David.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.