Rio Paraguai transborda e inunda mais de 200 casas em Assunção

Nível da água sobe rapidamente e atinge bairro que não costuma ser alvo de enchentes

Enchente em área da cidade de Assunção após cheia do rio Paraguai
Enchente em área da cidade de Assunção após cheia do rio Paraguai - Jorge Adorno/Reuters
 
Assunção e São Paulo

Uma inundação atípica produzida pelo fenômeno El Niño derrubou um muro de contenção em Assunção, no Paraguai, o que fez com que a enxurrada entrasse com força em cerca de 200 casas, na segunda-feira (15). Não houve mortos. 

O bairro atingido, chamado Sajonia, fica a 3 km do palácio presidencial, também localizado perto do rio Paraguai. A região não costumava alagar. 

O nível do rio aumentou depois de fortes chuvas. A água subiu durante a madrugada, de modo que os moradores tiveram pouco tempo para escapar. Há relatos de casas que ficaram submersas em menos de 40 minutos. Isso gerou enormes perdas materiais, segundo a Secretaria de Emergência Nacional (SEN). 

Segundo relatos na imprensa local, militares dispararam tiros para o alto para alertar os vizinhos de que eles precisavam sair. 

Menina anda em rua alagada em Assunção - Norberto Duarte/AFP

A subida do nível do rio afetou cerca de 25 mil famílias que vivem perto do rio Paraguai, em vários pontos do país. O rio cruza o território paraguaio por cerca de 1.000 km e desemboca no rio Paraná, na fronteira com a Argentina, cerca de 500 km ao sul de Assunção. 

A maioria das vítimas na capital foi de famílias de classe média. Para tentar salvar seus pertences, como roupas, eletrodomésticos e móveis, pessoas alugam botes e lanchas para irem até suas casas, ainda cobertas pela água. Algumas pessoas carregam as coisas nos ombros, com a água na altura do peito. 

Segundo o jornal local Ultima Hora, o medo dos moradores é que ladrões roubem as casas alagadas durante a noite, mesmo com as residências ainda submersas. 

O muro de proteção, de dois metros de altura, havia sido erguido com escombros e sacos de areia, como medida de prevenção, "mas as infiltrações terminaram por destruir a estrutura", disse Ricardo Maidana, porta-voz da SEN. 

O Departamento de Meteorologia do Paraguai estima que a água deve começar a baixar nos próximos dias, já que não se prevê chuvas intensas. No entanto, o rio deve seguir com nível de água elevado até o meio do ano.

Vista aérea de área alagada em Assunção - Jorge Adorno/Reuters
AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.