Após reunião de líderes, Brics dizem estar comprometidos com Acordo de Paris

Declaração foi publicada após encontro dos líderes do bloco em Osaka

Líderes posam para foto da cúpula do G20 em Osaka, no Japão Ludovic Marin/AFP

Osaka

Em meio ao debate sobre meio ambiente durante a reunião do G20, no Japão, o grupo dos Brics divulgou nota nesta sexta-feira (28) dizendo que seus integrantes “continuam comprometidos com a plena implementação do Acordo de Paris”.

“Continuamos comprometidos com a plena implementação do Acordo de Paris, adotado sob os princípios da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), inclusive os princípios das responsabilidades comuns porém diferenciadas e respectivas capacidades, à luz de diferentes circunstâncias nacionais”, diz o texto.

A declaração foi publicada após encontro dos líderes do bloco, formado por Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul, que aconteceu antes do início formal da cúpula, em Osaka, no Japão.

O comprometimento do bloco com o acordo, que trata de questões climáticas, ocorre um dia depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, dizer que não assinaria acordo comercial com o Brasil se o país deixar o acordo de Paris.

A fala de Macron impacta diretamente as tratativas entre Mercosul e União Europeia, em curso neste momento em Bruxelas.

Na esteira das críticas, a reunião bilateral entre Macron e Bolsonaro foi cancelada nesta sexta-feira (28) no Japão. 

A assessoria do governo brasileiro não soube informar os motivos. ​No fim, porém, os dois líderes acabaram conversando de maneira informal. 

A reunião dos Brics foi liderada por Bolsonaro, que falou por cinco minutos em defesa do bloco e do comércio multilateral.

Em recado lido para os mandatários dos Brics, Bolsonaro disse que correntes protecionistas e práticas econômicas desleais causam “tensões comerciais e põem em risco a estabilidade das regras internacionais de comércio”.

Ele disse que seu governo apoia o sistema multilateral de comércio e defendeu a reforma da OMC (Organização Mundial do Comércio).

O Brasil sedia, em novembro, encontro de líderes dos Brics.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.