Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

'Bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder', diz Bolsonaro sobre Argentina

Declaração foi dada em Parnaíba, onde presidente sobrevoou região produtora de frutas

João Pedro Pitombo
Salvador

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (14), em Parnaíba (a 335 km de Teresina), que “bandidos de esquerda” estão voltando ao poder na Argentina.

“Olha o que está acontecendo com a Argentina agora. A Argentina está mergulhando no caos. A Argentina começa a trilhar o rumo da Venezuela, porque, nas primárias, bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder”, afirmou.

A declaração faz referência à vitória da chapa formada por Alberto Fernández e Cristina Kirchner nas eleições primárias na Argentina, por 47% contra 32% do presidente Mauricio Macri, aliado de Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) - Adriano Machado/Reuters

A referência à Argentina foi feita logo após o presidente afirmar que vai trabalhar para “varrer a turma vermelha” do Brasil e derrotar “a corrupção e o comunismo” nas eleições de 2022.

Mesmo com as críticas à política argentina, Bolsonaro fez questão de destacar em discurso o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. A queda de barreiras para a fruticultura, disse ele, vai beneficiar o perímetro irrigado dos Tabuleiros Litorâneos, que produz frutas na região do delta do rio Parnaíba, no Piauí.

"Agora não terá mais barreira para [a Europa] importar as frutas produzidas no Brasil. A fruticultura aqui de Parnaíba, no Piauí, será pujante."

Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Parnaíba às 10h, de onde saiu para um sobrevoo na região dos Tabuleiros Litorâneos. 

No retorno, discursou de uma sacada do aeroporto para apoiadores. Vestidos de verde e amarelo e com camisas com a imagem do rosto do presidente, os militantes gritavam “fora PT” e “a nossa bandeira jamais será vermelha”.

Na sequência, o presidente seguiu para o centro da cidade para inaugurar uma escola do Sesc que se chamará Escola Presidente Jair Messias Bolsonaro. Nos dois atos, o mandatário foi acompanhado por um antigo aliado: o ex-governador do Piauí e o atual prefeito de Parnaíba, Francisco de Moraes Souza (SD), o Mão Santa.


Leia mais:

Bolsonaro diz que RS pode virar Roraima se 'esquerdalha' vencer na Argentina

Irritado e com olhos marejados, Macri diz que 'kirchnerismo não tem credibilidade'

Kirchneristas vão à loucura com lavada em Macri nas primárias argentinas


Conhecido pelo estilo folclórico e por bordões como “atentai bem”, Mão Santa foi governador do Piauí entre 1995 e novembro de 2001, quando foi cassado por abuso de poder econômico durante as eleições.

Um dia após sair vencedor das eleições primárias, na segunda-feira (12), o candidato de oposição Alberto Fernández respondeu às críticas feitas contra ele pelo presidente Jair Bolsonaro e chamou o brasileiro de racista e misógino.

Em entrevista ao programa de TV argentino Corea del Centro, o oposicionista disse que o presidente brasileiro é "um racista, um misógino e um violento que é a favor da tortura". E acrescentou: "Que alguém assim fale mal de mim é algo que eu celebro".

As declarações foram feitas horas após Bolsonaro afirmar que o Rio Grande do Sul poderia virar Roraima caso Cristina Kirchner, vice na chapa liderada por Alberto Fernandéz, voltasse ao poder, comparando a Venezuela de Maduro à Argentina.

​Fernández defendeu ainda o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e afirmou que gostaria de dizer a Bolsonaro que "Lula deveria estar livre para poder concorrer a uma eleição com ele".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.