Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro apaga comentário ofensivo à primeira-dama francesa

Presidente deu a entender que críticas de Macron seriam motivadas por inveja do francês da esposa do brasileiro

São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro apagou nesta terça (27) o comentário que fez em uma rede social no qual zombava da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, informou o site Poder 360.

Segundo o site, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que não comentaria a exclusão, e que foi o próprio presidente quem publicou o comentário.

No sábado (24), Bolsonaro referendou o comentário de um seguidor de sua página no Facebook.

Conversa de Bolsonaro no Facebook - Reproducao Twitter / @ggreenwald

Ao comentar uma publicação do presidente, o seguidor Rodrigo Andreaça escreveu: "É inveja presidente do macron pode crê (sic)". 

A mensagem de Andreaça foi publicada junto a uma imagem, na qual se vê uma foto de Bolsonaro e de sua esposa, Michelle, abaixo de um retrato de Macron e de sua mulher, Brigitte.

Ao lado das fotos dos casais, há os dizeres: "Entende agora por que Macron persegue Bolsonaro?".

O perfil de Bolsonaro respondeu a Andreaça: "Não humilha, cara. Kkkkkkk".

Apesar de excluir a sua mensagem, Bolsonaro manteve o comentário original do seguidor.

Na segunda (26), o mandatário francês classificou de “extremamente desrespeitosas" as palavras do brasileiro

“Penso que as mulheres brasileiras sentem vergonha ao ler isso, vindo de seu presidente, além das pessoas que esperam que ele represente bem seu país”, afirmou o líder europeu.

Ele também disse esperar que “os brasileiros tenham logo um presidente que se comporte à altura” do cargo.

Nesta terça, Bolsonaro negou ter ofendido Brigitte Macron. Questionado por jornalistas se pediria desculpas à primeira-dama francesa, o presidente brasileiro disse que não a ofendeu e, irritado com a insistências dos repórteres, encerrou a entrevista. 

Brigitte Macron, mulher de Emmanuel Macron - Thomas Samson/AFP

Os desentendimentos entre os dois líderes se acirraram desde que o brasileiro ameaçou deixar o Acordo de Paris sobre o Clima e o francês reagiu prometendo barrar o acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.

Brasil e França vivem a mais séria crise diplomática desde a década de 1960, na opinião de diplomatas europeus e brasileiros ouvidos pela Folha.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.