Em português, Brigitte Macron agradece a brasileiros por apoio contra Bolsonaro

'Há coisas que não se pode mais dizer', diz primeira-dama francesa sobre comentário do presidente

Azincourt (França) | AFP

A primeira-dama da França, Brigitte Macron, agradeceu nesta quinta-feira (29) o apoio que recebeu de brasileiros após ter sido alvo de um comentário ofensivo do presidente Jair Bolsonaro.

"Apenas queria dizer, já que vejo que há câmeras, duas palavras para os brasileiros e as brasileiras, em português: 'Muito obrigada!' Muito, muito obrigada a todos que me apoiaram", afirmou ela durante visita ao norte do país.

"Os tempos mudam. Alguns estão dentro do trem da mudança, mas nem todos estão: alguns ficaram na plataforma", afirmou, sob forte aplauso, durante discurso em Azincourt, onde participou de um evento oficial.

 

"Espero que ouçam isso, me emocionou muito", acrescentou ela ao se referir ao apoio de muitos brasileiros após o episódio envolvendo Bolsonaro.

"Para além de mim, é por todas as mulheres. Todas as mulheres se viram afetadas", disse. "As coisas estão mudando. Todo mundo deve estar consciente disso. Há coisas que não se pode mais dizer e coisas que não se pode mais fazer", insistiu.

No último sábado (24), Bolsonaro endossou em uma rede social um comentário ofensivo contra a primeira-dama francesa.

Ao comentar uma publicação do mandatário brasileiro em sua página no Facebook, o seguidor Rodrigo Andreaça escreveu: "É inveja presidente do Macron pode crê (sic)".

Reprodução de conversa de Bolsonaro no Facebook
Reprodução de conversa de Bolsonaro no Facebook - Reproducao Twitter @ggreenwald

A mensagem foi publicada junto a uma imagem, na qual se vê uma foto de Bolsonaro e de sua esposa, Michelle Bolsonaro, abaixo de um retrato do presidente francês, Emmanuel Macron, e de sua mulher, Brigitte.

Ao lado das fotos dos casais, há os dizeres: "Entende agora por que Macron persegue Bolsonaro?".

O perfil de Bolsonaro respondeu a Andreaça: "Não humilha, cara. Kkkkkkk", dando a entender que as recentes críticas de Macron ao presidente brasileiro seriam motivadas por inveja da esposa do brasileiro.

Em resposta a Bolsonaro, internautas brasileiros usaram a hashtag #DesculpaBrigitte para condenar a atitude do presidente.

A declaração piorou ainda mais a relação entre os dois líderes. Os desentendimentos entre o brasileiro e o francês se acirraram na última semana em decorrência do aumento das queimadas na Amazônia. 

A troca de acusações entre eles levou a mais séria crise diplomática entre  Paris e Brasília desde a década de 1960, na opinião de diplomatas europeus e brasileiros ouvidos pela Folha.

Na segunda (26), o mandatário francês classificou de “extremamente desrespeitosas" as palavras do brasileiro

“Penso que as mulheres brasileiras sentem vergonha ao ler isso, vindo de seu presidente, além das pessoas que esperam que ele represente bem seu país”, afirmou o líder europeu.

Ele também disse esperar que “os brasileiros tenham logo um presidente que se comporte à altura” do cargo.

Na terça (27), Bolsonaro negou ter ofendido Brigitte Macron. Questionado por jornalistas se pediria desculpas à primeira-dama francesa, o presidente brasileiro disse que não a ofendeu e, irritado com a insistências dos repórteres, encerrou a entrevista. 

No fim, porém, ele acabou apagando o comentário

A primeira-dama francesa, Brigitte Macron, durante inauguração de um centro sobre história medieval em Azincourt
A primeira-dama francesa, Brigitte Macron, durante inauguração de um centro sobre história medieval em Azincourt - Denis Charlet - 29.ago.19/AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.