Morre Ben Ali, ex-ditador da Tunísia deposto pela Primavera Árabe

No poder de 1987 até 2011, ele vivia na Arábia Saudita, onde estava exilado

Túnis | Reuters e AFP

Zine El Abidine Ben Ali, 83, ex-ditador da Tunísia, morreu nesta quinta (19) na Arábia Saudita, onde estava exilado.

A informação foi confirmada por seu advogado, Mounir Ben Salha, e pelo ministério das Relações Exteriores da Tunísia, mas a causa da morte não foi revelada. 

Ben Ali chegou ao poder em 1987 por meio de um golpe não violento contra o então presidente Habib Bourguiba, de quem era primeiro-ministro. 

O ex-ditador da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali
O ex-ditador da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali - Jacky Naegelen - 30.abr.08/Reuters

A tomada de poder ocorreu três semanas após Ben Ali ter sido nomeado para o cargo de premiê.

Ele reuniu uma equipe de médicos que diagnosticou Bourguiba como senil, o que o lançou automaticamente para a chefia de Estado.

Ben Ali foi o segundo governante da ex-colônia francesa após sua independência, em 1956.

Acusado de violações de direitos humanos, renunciou durante a Primavera Árabe, em 2011, e fugiu para a Arábia Saudita em janeiro daquele ano.

O então ditador foi sentenciado a 35 anos de prisão, mas nunca respondeu ao processo.

Sua primeira década como ditador é lembrada pela reestruturação econômica apoiada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Mundial que possibilitou à Tunísia uma taxa de crescimento pouco acima de 4% ao ano.

Mas seu governo ficou marcado, principalmente, pelo silenciamento de dissidentes políticos, aumento da desigualdade e por acusações de corrupção.

Seu retrato era exibido em estabelecimentos de todo o território, incluindo comércios e escolas. Nas poucas ocasiões em que foi submetido a eleições, saiu reeleito com mais de 99% dos votos.

A Tunísia é o único país que viveu a Primavera Árabe a continuar no caminho da democratização. Após o levante de 2011, ganhou uma nova Constituição, eleições livres e um governo de coalizão entre laicos e islâmicos moderados.

No último domingo (15), os tunisianos participaram da segunda eleição presidencial da história do país, que será decidida em um segundo turno previsto para outubro.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.